Quem é o juiz alvo de denúncias de assédio em SP: “se achava o garanhão”

Todas as denúncias chegaram ao conhecimento do Me Too Brasil, organização sem fins lucrativos que oferece assistência jurídica gratuita a vítimas de violência sexual

www.brasil247.com - Marcos Scalercio
Marcos Scalercio (Foto: Reprodução/Instagram)


247 - Ele é um professor engraçado, que faz piada e realmente é muito bom. Todos gostam dele. Mas em conversas privadas, ele se achava com muito poder. Dizia que ele conseguiria sair com qualquer menina, porque ele era juiz. Ele se achava o garanhão". Essa descrição de Marcos Scalercio, 41 anos, juiz da Justiça do Trabalho de São Paulo, e alvo de pelo menos dez denúncias de assédio sexual nesta segunda-feira (15), é feita por uma ex-aluna da Damásio Educacional. Larissa* não está entre as denunciantes, mas reconheceu a situação ao ler a reportagem sobre as acusações, informa o portal Splash.

Ela estudou no cursinho preparatório para o exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em 2018, ano em que conheceu o professor. De acordo com a aluna, em entrevista a Universa, as denúncias que vieram a público já são conhecidas, inclusive pela instituição de ensino, há pelo menos quatro anos.

Marcos Scalercio está sendo acusado por ao menos dez mulheres de assédio sexual entre 2014 e 2020.

De acordo com o G1, todas as denúncias chegaram ao conhecimento do Me Too Brasil, organização sem fins lucrativos que oferece assistência jurídica gratuita a vítimas de violência sexual. Três mulheres procuraram diretamente a ONG para formalizar e levar à frente as denúncias contra Scalercio.

Ele é juiz substituto do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região e professor de direito material e processual do trabalho no Damásio Educacional.

O Me Too Brasil, então, levou as queixas ao Conselho Nacional do Ministério Público, que depois acionou os órgãos competentes. Atualmente, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em Brasília, e o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), em São Paulo, apuram essas três acusações contra o juiz, respectivamente, nas esferas administrativa e criminal.

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email