Recursos do BID são liberados para Turismo

Setor vai receber US$ 20 milhes do Banco Interamericano de Desenvolvimento pela primeira parcela do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur), que ter ao todo US$ 187 milhes; especializaes para mo-de-obra e construo de marinas pblicas sero as primeiras aes

Agência Rio - O secretário de Turismo, Ronald Ázaro, anunciou em Lisboa que o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) aprovou a liberação da primeira parcela para a implantação do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur) no Estado do Rio, no valor de US$ 20 milhões. O programa prevê investimento total de US$ 187 milhões, com contrapartida do Estado.

"Com esta autorização, vamos licitar e executar os programas, inicialmente nárea da formalização dos agentes de turismo no Estado do Rio de Janeiro e todam a sua cadeia produtiva, numa parceria com o Sebrae", afirmou o secretário.

Ronald Ázaro, que está na capital portuguesa participando da Bolsa de Turismo de Lisboa 2012, considerada um dos maiores encontros de turismo da Europa, também apresentou detalhes do Projeto de Fomento e Organização do Turismo Náutico no estado, que prevê a construção de marinas públicas nos municípios de Arraial doCabo, Paraty, Angra dos Reis, Mangaratiba e Armação dos Búzios.

De acordo com o secretário, o projeto tem importância fundamental para o incremento, não só da atividade turística, como também para o desenvolvimentodas regiões.

"Vamos investir cerca de R$ 5 milhões nessas marinas, que vão gerar empregos, renda, desenvolvimento da indústria offshore e melhorias na área do meio ambiente. Em Arraial do Cabo, que receberá a primeira marina, 120 barcos de médio porte ficarão atracados em total segurança. As prefeituras serão as responsáveis pela manutenção e operacionalização da atividade", disse.

O secretário acrescentou que também serão realizados cursos de capacitação equalificação para os trabalhadores que atuarão nesses locais e que haverá aulas de receptivo e idiomas com o objetivo de incrementar o turismo nas localidades. Atualmente, cerca de 90% do trabalho praticado no turismo náutico é informal.

Construção com baixo risco ambiental

A responsabilidade ambiental do projeto está presente nos materiais utilizados na construção das marinas, que serão flutuantes em PVC ou polietileno. O piso, tipo deck de madeira plástica, será totalmente reciclável. O processo de construção é seguro e econômico em relação ao sistema convencional, que utiliza concreto. O modelo tem baixo índice de risco ambiental e uma excelente eficácia no atendimento às embarcações.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247