Restos mortais de Garrincha somem de cemitério no Rio

Os restos mortais de Mané Garrincha, bicampeão mundial pela seleção brasileira (1958 e 1962), foram retirados do cemitério onde estavam enterrados; quem descobriu foi a filha do jogador, que pretendia fazer uma homenagem ao pai no túmulo; Garrincha morreu em janeiro de 1983 e seu corpo foi enterrado no cemitério de Raiz da Serra, em Magé, Região Metropolitana do Rio

Os restos mortais de Mané Garrincha, bicampeão mundial pela seleção brasileira (1958 e 1962), foram retirados do cemitério onde estavam enterrados; quem descobriu foi a filha do jogador, que pretendia fazer uma homenagem ao pai no túmulo; Garrincha morreu em janeiro de 1983 e seu corpo foi enterrado no cemitério de Raiz da Serra, em Magé, Região Metropolitana do Rio
Os restos mortais de Mané Garrincha, bicampeão mundial pela seleção brasileira (1958 e 1962), foram retirados do cemitério onde estavam enterrados; quem descobriu foi a filha do jogador, que pretendia fazer uma homenagem ao pai no túmulo; Garrincha morreu em janeiro de 1983 e seu corpo foi enterrado no cemitério de Raiz da Serra, em Magé, Região Metropolitana do Rio (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247 - Os restos mortais de Mané Garrincha, bicampeão mundial pela seleção brasileira (1958 e 1962), foram retirados do cemitério onde estavam enterrados. Quem descobriu foi a filha do jogador, que pretendia fazer uma homenagem ao pai no túmulo. A informação foi publicada nesta quarta-feira (31) pelo jornal "Extra". Garrincha morreu em janeiro de 1983 e seu corpo foi enterrado no cemitério de Raiz da Serra, em Magé, Região Metropolitana do Rio. 

Ao jornal, uma funcionária do cemitério afirmou que o corpo foi exumado e levado para uma gaveta, mas não há documento que comprove essa informação.

A filha do jogador, Rosângela, disse ao RJTV que o corpo do pai foi retirado do local, porque outro familiar precisou ser enterrado, mas nenhuma das filhas participou da exumação nem tem qualquer documento que comprove que o corpo foi retirado do túmulo. 

No cemitério foram identificados túmulos mal conservados, ossadas à mostra, restos mortais exumados de outros jazigos em sacos plásticos, sem informação alguma.

Também foi encontrado um erro no túmulo de Garrincha, pois a data da morte que consta na lápide é 1985.

 

Conheça a TV 247

Mais de Sudeste

Ao vivo na TV 247 Youtube 247