Rio de Janeiro registra a 81ª morte de policial neste ano

O Rio de Janeiro registrou neste sábado mais uma morte de policial. Desde o início do ano, foram 81 casos; desta vez, é o soldado Éwerton Hudson Bispo da Rocha, ferido ao reagir a uma tentativa de roubo, às 6h10, na padaria Nossa Senhora de Fátima, em Nilópolis, na Baixada Fluminense; policiais do 20º Batalhão de Polícia Militar (BPM), em Mesquita, também na região, apreenderam no local dois carregadores de pistola

O Rio de Janeiro registrou neste sábado mais uma morte de policial. Desde o início do ano, foram 81 casos; desta vez, é o soldado Éwerton Hudson Bispo da Rocha, ferido ao reagir a uma tentativa de roubo, às 6h10, na padaria Nossa Senhora de Fátima, em Nilópolis, na Baixada Fluminense; policiais do 20º Batalhão de Polícia Militar (BPM), em Mesquita, também na região, apreenderam no local dois carregadores de pistola
O Rio de Janeiro registrou neste sábado mais uma morte de policial. Desde o início do ano, foram 81 casos; desta vez, é o soldado Éwerton Hudson Bispo da Rocha, ferido ao reagir a uma tentativa de roubo, às 6h10, na padaria Nossa Senhora de Fátima, em Nilópolis, na Baixada Fluminense; policiais do 20º Batalhão de Polícia Militar (BPM), em Mesquita, também na região, apreenderam no local dois carregadores de pistola (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil - O Rio de Janeiro registrou hoje (17) mais uma morte de policial. Desde o início do ano, foram 81 casos. Desta vez, é o soldado Éwerton Hudson Bispo da Rocha, ferido ao reagir a uma tentativa de roubo, às 6h10, na padaria Nossa Senhora de Fátima, em Nilópolis, na Baixada Fluminense. Policiais do 20º Batalhão de Polícia Militar (BPM), em Mesquita, também na região, apreenderam no local dois carregadores de pistola.

De acordo com o 20º BPM, ao perceber a ação dos assaltantes o policial, que não estava em serviço, lutou com um dos homens, foi baleado e não resistiu ao ferimento. Há seis anos na Polícia Militar, o soldado estava lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São Carlos, na região central do Rio. De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora, Éwerton seria promovido a cabo nos próximos dias. As investigações estão sob a responsabilidade da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense.

Pelos dados da PM, entre os policiais vítimas de ações violentas, 15 foram mortos em serviço, 49 durante folga e 17 eram reformados. Ainda há um corpo que depende de laudo do DNA para comprovar se é de um policial.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247