Russomanno assume bolsonarismo e é alvo de adversários no debate da Band

O deputado Celso Russomano, candidato a prefeito de São Paulo pelo Republicanos, foi o alvo dos demais candidatos no primeiro debate eleitoral de 2020, promovido pela TV Band

Celso Russomano
Celso Russomano (Foto: (220) Bruno Zanardo / Fotoarena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - No primeiro debate entre os candidatos à Prefeitura de São Paulo, transmitido nesta quinta-feira (1), pela TV Band, os 11 participantes se apresentaram aos eleitores com suas principais propostas e algumas polêmicas com adversários. 

Líder da última pesquisa do Ibope, publicada por O Estado de S.Paulo na semana passada, Celso Russomanno (Republicanos) foi o alvo preferencial e tentou deixar clara sua ligação com Jair Bolsonaro.

Logo no segundo bloco,a deputada Joice Hasselmann (PSL) lembrou a suspeita de que Russomano recebeu R$ 50 mil não contabilizados da Odebrecht na campanha eleitoral de 2010. 

Os candidatos Joice Hasselmann e Arthur do Val (Patriota), procurarm demonstrar sua afinidade com o eleitor de direita. Joice lembrou sua participação na camoanha pelo impeachment da pr4esidente Dilma Rousseff. 

Outros candidatos também criticaram Russomano: o prefeito Bruno Covas (PSDB), Jilmar Tatto (PT), Guilherme Boulos (PSOL) e Marina Helou (Rede).  Russomano citou que Bolsonaro pediu a ele "para cuidar de São Paulo". 

O Prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB) também foi alvo de ataques, principalmente de Russomano, que lhe perguntou sobre a licitação para compra de 500 mil tablets para estudantes da rede municipal que foi barrada pelo Tribunal de Contas do Município (TCM). 

O prefeito lembrou a preocupação com os alunos que ficaram sem aulas durante a pandemia do novo coronavírus.

Covas foi cobrado por outros resultados da sua gestão e até sobre medidas tomadas pelo governador João Doria (PSDB) e classificado como inexperiente por um dos adversários da direita, André Matarazzo. O prefeito lembrou as sucessivas derrotas que Matarazzo tem sofrido, por isso tem se revelado "tão amargo".

Bruno Covas atacou a gestão de Fernando Haddad, do PT. Acusou o ex-prefeito de ter deixado um “rombo nas contas públicas”. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247