"Sem medicamentos, sem exames, sem materiais, sem condições", 600 já aderiram à greve no Hospital São Paulo

O hospital é ligado à Unifesp. A greve começou na terça-feira, 9, e está ganhando cada dia mais apoio entre os residentes, estudantes e funcionários. Os grevistas reclamam pela falta de medicamentos, exames, materiais e condições

Greve Hospital São Paulo
Greve Hospital São Paulo (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Cerca de 600 residentes do Hospital São Paulo, na capital paulista, estão em greve contra más condições de trabalho. Foi realizado um ato em frente à unidade de saúde, nesta sexta-feira, 12, segundo o Estado de S.Paulo.

Os grevistas, porém, garantem que será mantida 30% da equipe para atendimentos de urgência e emergência na unidade.

O hospital é ligado à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A greve começou na terça-feira, 9, e está ganhando cada dia mais apoio entre os residentes, estudantes e funcionários. Os grevistas reclamam pela falta de medicamentos, exames, materiais e condições.

Em nota, o Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), afirmou ser um absurdo que em um dos três principais hospitais de alta complexidade da cidade atue desde o final de 2020 com falta de álcool, luvas de procedimento, seringa, sonda e gaze.

“Exames laboratoriais simples como hemograma e sorologia também estão em falta, sem contar medicamentos como omeprazol e buscopan composto. A população não pode pagar a conta da má administração dos recursos públicos. Os residentes entram em greve como uma luta por dignidade aos seus pacientes”, disse Augusto Ribeiro, diretor do Simesp.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email