Servidores da saúde entram em greve no Rio

A paralisação atinge todas as categorias da área no estado; a causa da mobilização são os atrasos salariais, a imprevisibilidade do pagamento do décimo terceiro e a situação de penúria na qual se encontram os hospitais e a rede pública de atendimento

A paralisação atinge todas as categorias da área no estado; a causa da mobilização são os atrasos salariais, a imprevisibilidade do pagamento do décimo terceiro e a situação de penúria na qual se encontram os hospitais e a rede pública de atendimento
A paralisação atinge todas as categorias da área no estado; a causa da mobilização são os atrasos salariais, a imprevisibilidade do pagamento do décimo terceiro e a situação de penúria na qual se encontram os hospitais e a rede pública de atendimento (Foto: Leonardo Lucena)

Jornal do Brasil - Os servidores de todas as categorias da área de Saúde do Estado do Rio de Janeiro entraram em greve nesta segunda-feira (2). De acordo com os profissionais da categoria, a paralisação ocorre devido aos atrasos salariais, a imprevisibilidade do pagamento do décimo terceiro e a situação de penúria na qual se encontram os hospitais e a rede pública de atendimento.

A paralisação foi determinada em assembleia nesta sexta-feira (30). Médicos, farmacêuticos, agentes de Vigilância Sanitária, técnicos de enfermagem, entre outros profissionais da área estavam presentes na reunião, e já enviaram ofício à secretaria confirmando a greve.

Os funcionários alegam já não ter mais condições nem de ir ao trabalho. Segundo relatos, alguns já afirmam estarem sendo ameaçados de despejo e suspensão de serviços de fornecimento de água e energia.

A secretaria estadual de Saúde do Rio se comprometeu a pagar os salários integrais de novembro a 4,6 mil servidores de níveis médio, fundamental e elementar até o último dia 30. Os de nível superior e inativos receberiam os salários de forma parcelada a partir de 5 de janeiro. 

No mesmo dia, os servidores da Saúde do estado se reunirão em assembleia para decidir os rumos do movimento. O Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais (Muspe) também deve realizar um ato em frente ao Palácio Guanabara. Os servidores farão a passeata do ‘Calendário da Fome’ saindo do Largo do Machado às 10h. 

De acordo com informações divulgadas pela Secretaria de Saúde, no dia 26 de janeiro será pago um adicional de produtividade aos servidores da Superintendência de Vigilância Sanitária, com os recursos da pasta. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247