Suspeito de terrorismo contra Porta dos Fundos é também miliciano

Além de ser filiado ao PSL, o suspeito de ser um dos autores do atentado terrorista à produtora de vídeos Porta dos Fundos na Zona Sul do Rio, o economista e empresário Eduardo Fauzi Richard Cerquise, também é investigado por possível atuação de milícias na cobrança de estacionamentos rotativos no Centro do Rio

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Além de ser filiado ao PSL, o suspeito de ser um dos autores do atentado terrorista à produtora de vídeos Porta dos Fundos na Zona Sul do Rio, o economista e empresário Eduardo Fauzi Richard Cerquise, também é investigado por possível atuação de milícias na cobrança de estacionamentos rotativos no Centro do Rio. 

A reportagem do jornal O Globo destaca que "Fauzi, que tem 20 anotações criminais — entre elas por ameaça, lesão corporal, desacato, extorsão e Lei Maria da Penha — é presidente da Associação dos Guardadores Autônomos de Veículos São Miguel. Segundo denúncias encaminhadas a Polícia Civil, Fauzi exercia ilegalmente a atividade econômica num estacionamento no Centro do Rio, que não teria alvará da prefeitura para funcionamento."

A matéria ainda acrescenta que "neste domingo, o Plantão Judiciário autorizou a prisão de Eduardo pelo ataque a produtora de filmes, na madrugada do último dia 24. Fauzi não foi localizado e é considerado foragido. Desde 2011, a 5ª DP (Mém de Sá) possui um inquérito sobre a suspeita do envolvimento de Fauzi na participação de milicianos no comando de estacionamentos irregulares no Centro do Rio. A investigação apura crimes de formação de quadrilha e ameaças. Há sete anos a delegacia apura o caso e até agora não chegou a uma conclusão."

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247