Tabata ataca greve do metrô e diz que pouco importa se o serviço é público ou privado

Pré-candidata à prefeitura de São Paulo disse que a greve desta terça-feira contra as privatizações não é representativa dos trabalhadores

Tabata Amaral e greve dos metroviários de SP
Tabata Amaral e greve dos metroviários de SP (Foto: Agência Câmara | ABr)


✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - A deputada federal e pré-candidata à prefeitura de São Paulo, Tabata Amaral (PSB), voltou a atacar os trabalhadores que se mobilizam contra as privatizações no estado nesta terça-feira (28). 

A greve unificada de trabalhadores de trem, metrô, do saneamento básico, além de professores da rede estadual, é uma mobilização contra as privatizações dos serviços básicos em São Paulo e os planos do governador Tarcísio de Freitas de liquidar a infraestrutura do estado. 

continua após o anúncio

Mas Tabata destaca apenas os transtornos causados à população, que é em sua maioria contra as propostas de privatização do saneamento básico e dos transportes. "Isso é um desrespeito com as pessoas que precisam trabalhar", postou Tabata, no X. 

Segundo ela, não importa se o serviço é privado ou público. Ela também criticou o "descaso" do poder público em garantir um transporte público de qualidade e disse que a greve desta terça-feira não é representativa dos trabalhadores. "Só mostra que o interesse da população não está em primeiro lugar", concluiu. 

continua após o anúncio

À tarde está prevista uma manifestação das diversas categorias de trabalhadores em greve na frente da Assembleia Legislativa de São Paulo, como forma de pressionar os deputados estaduais a revogarem o processo de privatização da Sabesp e das linhas de trem e metrô; além de derrubarem a proposta de diminuição na verba da educação proposta pelo governo do estado.

De fato, as mobilizações desta terça-feira mudaram a rotina de muita gente nesta terça feira. Mas o próprio governo de Tarcísio rejeitou as negociações, negando catraca livre, e decretando ponto facultativo. 

continua após o anúncio

Às 10 horas da manhã, mais de 50% das vias monitoradas pela CET estavam congestionadas. O provão paulista, prova que avalia a qualidade de ensino da rede estadual, que seria hoje, foi adiado para amanhã. Diversas linhas de trem e metro estão funcionando de forma parcial e com maior tempo de intervalo entre as estações. No centro da capital paulista, pouca gente nas ruas. Porque as pessoas se programaram para não sair de sua casa ou não porque conseguiram chegar.  

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247