CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Sudeste

TJ-RJ adia decisão de afastamento de delegado em caso de estupro

A juíza Ângela Costa, do TJ-RJ, adiou uma decisão sobre o pedido das advogadas da menor de 16 anos, vítima de um estupro coletivo, para que a investigação fosse desmembrada e o delegado Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), cuidasse apenas dos delitos que envolvem a divulgação de vídeos e fotos nas redes sociais; a defesa da menor quer que a investigação seja feita pela Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente Vítima (Dcav); a magistrada alegou não ter condições de julgar o caso, pois teve apenas o termo da declaração das defensoras

Imagem Thumbnail
A juíza Ângela Costa, do TJ-RJ, adiou uma decisão sobre o pedido das advogadas da menor de 16 anos, vítima de um estupro coletivo, para que a investigação fosse desmembrada e o delegado Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), cuidasse apenas dos delitos que envolvem a divulgação de vídeos e fotos nas redes sociais; a defesa da menor quer que a investigação seja feita pela Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente Vítima (Dcav); a magistrada alegou não ter condições de julgar o caso, pois teve apenas o termo da declaração das defensoras (Foto: Leonardo Lucena)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Rio 247 - A juíza Ângela Costa, do plantão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), adiou neste domingo (29) uma decisão sobre o pedido das advogadas da menor de 16 anos, vítima de um estupro coletivo, para que a investigação fosse desmembrada e o delegado Alessandro Thiers, da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), cuidasse apenas dos delitos que envolvem a divulgação de vídeos e fotos nas redes sociais. Com isso o processo será remetido nesta segunda-feira (30) para uma vara criminal.

A magistrada alegou não ter condições de julgar o caso, pois teve apenas o termo da declaração das advogadas. A juíza não teve acesso ao inquérito e não poderia dar qualquer decisão baseada apenas no documento apresentado pelas advogadas. 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A defesa da menor quer que o crime de estupro fique sob responsabilidade da Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente Vítima (Dcav). As advogadas da jovem acusaram o delegado de criminalizar a vítima e de fazer perguntas inadequadas como, por exemplo, se ela já tinha feito sexo grupal.

No Facebook, Eloisa Samy, uma das advogadas da adolescente, chegou a dizer que Thiers saiu da investigação sobre o estupro coletivo e que o inquérito foi desmembrado.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

"Vitória das mulheres!!!! O Delegado Alessandro Thiers da DRCI não é mais o encarregado pela investigação do estupro coletivo! A medida foi determinada pela juíza do plantão noturno do Tribunal de Justiça, a qual determinou o desmembramento do inquérito para que as investigações sejam, daqui por diante, conduzidas pela Delegacia da Criança Vítima - DCAV", comemorou.

Sindicato repudia a advogada

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Em nota, o Sindicato de Delegados de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (Sindepol-RJ), com o apoio do Sindicato de Delegados Federais do Rio de Janeiro (SINDPF-RJ), repudiou “as declarações impertinentes e oportunistas da advogada Eloísa Samy, assim como qualquer tipo de ingerência nas investigações do caso”.

O Sindepol-RJ afirmou que as delegacias especializadas se notabilizaram por ser uma “verdadeira trincheira cidadã”, na luta contra qualquer tipo de violência. Em especial a crianças, adolescentes e mulheres. A entidade disse, ainda, que em casos de repercussão e apelo popular é ainda mais importante que a autoridade se mostre imparcial, técnica e com autonomia para presidir as investigações da forma que considerar mais adequada na apuração dos fatos.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO