TRE nega recurso de Lindbergh: "eles querem tirar das urnas um candidato do PT"

"Eu quero deixar claro que continuo candidato. Meu número continuará na urna. E o TSE vai julgar o recurso. Eles querem tirar das urnas um candidato do PT. Para ser inelegível, a jurisprudência prevê que tenha havido enriquecimento ilícito. Isso não aconteceu", disse Lindbergh Farias, candidato a vereador no Rio

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ) negou, na tarde desta quinta-feira, recursos do ex-senador Lindbergh Farias (PT), candidato a vereador na cidade do Rio, mantendo a inelegibilidade de sua candidatura. Apesar da decisão, o candidato permanece na disputa, já que ainda cabe recurso junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

"Eu quero deixar claro que continuo candidato. Meu número continuará na urna. E o TSE vai julgar o recurso. Eles querem tirar das urnas um candidato do PT. Para ser inelegível, a jurisprudência prevê que tenha havido enriquecimento ilícito. Isso não aconteceu", disse Lindbergh.

A decisão tem base na condenação, pelo Tribunal de Justiça fluminense, que suspende seus direitos políticos. Lindbergh foi condenado em 2016, com base em uma ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro afirmando que quando prefeito de Nova Iguaçu e candidato à reeleição para o cargo, entre dezembro de 2007 e o primeiro semestre de 2008, distribuiu leite em caixas e cadernetas de controle de distribuição com o logotipo de sua gestão.

O ex-senador afirma que é vítima de perseguição política. O recurso do parlamentar foi negado pelo TRE por cinco votos a um.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247