Trecho do Elevado da Perimetral será implodido

A Prefeitura do Rio vai implodir, do dia 20 de abril, domingo de Páscoa, um trecho de 300 m do viaduto da Perimetral, na altura da Praça Mauá; em novembro de 2013, foi implodido o primeiro trecho de 1.050 m entre as ruas Professor Pereira Reis e Silvino Montenegro; em fevereiro, começou a segunda etapa do processo de remoção da Perimetral com a retirada dos 1.163 m por demolição a frio (desmonte) da Praça Mauá à Avenida General Justo

A Prefeitura do Rio vai implodir, do dia 20 de abril, domingo de Páscoa, um trecho de 300 m do viaduto da Perimetral, na altura da Praça Mauá; em novembro de 2013, foi implodido o primeiro trecho de 1.050 m entre as ruas Professor Pereira Reis e Silvino Montenegro; em fevereiro, começou a segunda etapa do processo de remoção da Perimetral com a retirada dos 1.163 m por demolição a frio (desmonte) da Praça Mauá à Avenida General Justo
A Prefeitura do Rio vai implodir, do dia 20 de abril, domingo de Páscoa, um trecho de 300 m do viaduto da Perimetral, na altura da Praça Mauá; em novembro de 2013, foi implodido o primeiro trecho de 1.050 m entre as ruas Professor Pereira Reis e Silvino Montenegro; em fevereiro, começou a segunda etapa do processo de remoção da Perimetral com a retirada dos 1.163 m por demolição a frio (desmonte) da Praça Mauá à Avenida General Justo (Foto: Leonardo Lucena)

Agência Rio - A Prefeitura do Rio vai implodir, às 7h da manhã, do dia 20 de abril, domingo de Páscoa, um trecho de 300 metros do viaduto da Perimetral, na altura da Praça Mauá. Em novembro do ano passado, foi implodido o primeiro trecho de 1.050 metros entre as ruas Professor Pereira Reis e Silvino Montenegro. Em fevereiro, começou a segunda etapa do processo de remoção da Perimetral com a retirada dos 1.163metros por demolição a frio (desmonte) da Praça Mauá à Avenida General Justo.

Com a nova implosão, a Prefeitura do Rio entra agora na terceira etapa de remoção do viaduto, compreendido entre o prédio da Polícia Federal (altura da Rua Edgar Gordilho) e no 1º Distrito Naval na (Odontoclínica da Marinha), em frente à Praça Mauá. Para este trecho a técnica da implosão é a mais indicada devido à característica construtiva composto por três vãos de concreto armado com cabos de aço.

Equipes da Prefeitura do Rio, da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro (Cdurp) e da Concessionária Porto Novo – que envolvem profissionais das áreas de Obras, Tráfego, Responsabilidade Social, Limpeza, secretarias de Desenvolvimento Social (SMDS), Transportes (SMTR) Defesa Civil, Companhia de Engenharia de Tráfego do Rio de Janeiro (CET-Rio) e Guarda Municipal – garantem a segurança do processo. Como na primeira etapa, a implosão será controlada por equipamentos e tecnologia de ponta, como sismógrafos que monitoram os efeitos da detonação.

Dentre as medidas de segurança programadas, telas e tapumes de proteção serão instalados ao longo de todo trecho da implosão. Vistorias cautelares na área de influência em todos os prédios do entorno asseguram o monitoramento das condições de cada imóvel. Alguns edifícios receberão tratamento especial, como o Museu de Arte do Rio (MAR), muito próximo à área de implosão, que não abrirá as portas ao público de 20 a 24 de abril.

Após a implosão, equipes da Prefeitura do Rio e da Concessionária Porto Novo, empresa responsável pela execução das obras e prestação dos serviços públicos da Operação Urbana Porto Maravilha, farão a limpeza do trecho para liberação da Avenida Rodrigues Alves. O serviço de retirada de entulho vai durar quatro dias e a previsão é de que a Rodrigues Alves seja reaberta às 5h do dia 24 de abril, quinta-feira.

Assim como na implosão do primeiro trecho da Perimetral, moradores, trabalhadores e comerciantes na região de influência direta (a menos de 150 metros da área da implosão) deverão deixar seus imóveis antes da ação, a partir das 5h da manhã do dia 20. Equipes farão varredura do local e todos os imóveis da área de influência deverão estar desocupados até as 6h.

Aproximadamente 300 pessoas serão deslocadas de seus estabelecimentos antes da detonação, número reduzido pelo fato de a operação ser em um domingo e durante um feriado, quando grande parte do comércio estará fechado. Equipes da Concessionária Porto Novo e da Secretaria Municipal da Defesa Civil vão orientar a população sobre a saída dos imóveis e guiá-la até o ponto de encontro preestabelecido.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247