Verba da segurança pode ajudar a bancar o metrô

Com a liberação do repasse de R$ 2,9 bilhões do governo federal para a segurança das Olimpíadas, o estado estuda a possibilidade de transferir o dinheiro da segurança, aprovado pela Lei de Diretrizes Orçamentárias, para financiar a conclusão da Linha 4 do metrô, diz uma fonte do governo do estado; o governo não quer esperar pelo empréstimo de R$ 989 milhões que tenta com o BNDES, para garantir a conclusão da Linha 4; a conclusão da linha 4 do metrô ainda depende de cerca de R$ 1 bilhão

Com a liberação do repasse de R$ 2,9 bilhões do governo federal para a segurança das Olimpíadas, o estado estuda a possibilidade de transferir o dinheiro da segurança, aprovado pela Lei de Diretrizes Orçamentárias, para financiar a conclusão da Linha 4 do metrô, diz uma fonte do governo do estado; o governo não quer esperar pelo empréstimo de R$ 989 milhões que tenta com o BNDES, para garantir a conclusão da Linha 4; a conclusão da linha 4 do metrô ainda depende de cerca de R$ 1 bilhão
Com a liberação do repasse de R$ 2,9 bilhões do governo federal para a segurança das Olimpíadas, o estado estuda a possibilidade de transferir o dinheiro da segurança, aprovado pela Lei de Diretrizes Orçamentárias, para financiar a conclusão da Linha 4 do metrô, diz uma fonte do governo do estado; o governo não quer esperar pelo empréstimo de R$ 989 milhões que tenta com o BNDES, para garantir a conclusão da Linha 4; a conclusão da linha 4 do metrô ainda depende de cerca de R$ 1 bilhão (Foto: Leonardo Lucena)

Rio 247- Com a liberação do repasse de R$ 2,9 bilhões do governo federal para a segurança das Olimpíadas, o estado estuda a possibilidade de transferir o dinheiro da segurança, aprovado pela Lei de Diretrizes Orçamentárias, para financiar a conclusão da Linha 4 do metrô, diz uma fonte do governo do estado. A informação foi repassada de uma fonte do executivo ao Globo. O governo não quer esperar pelo empréstimo de R$ 989 milhões que tenta com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para garantir a conclusão da Linha 4. A previsão inicial era que as seis estações da Linha 4 estivessem funcionando até os Jogos Olímpicos. Agora, o terminal da Gávea ficou para 2018. O metrô deve operar com apenas com cinco estações: Jardim de Alah, Antero de Quental, Nossa Senhora da Paz, São Conrado e Jardim Oceânico. O custo da obra dobrou, passando de R$ 5 bilhões para R$ 10,2 bilhões. A conclusão da linha 4 do metrô ainda depende de cerca de R$ 1 bilhão.

 Além de ainda não estar concretizado o empréstimo, a verba poderia demorar a chegar, mas o estado do Rio precisa do dinheiro imediatamente para terminar a obra à tempo dos jogos. Na sexta-feira (17) o governo decretou estado de calamidade pública, o que, teoricamente, abre espaço para novos níveis de endividamento e remanejamento das receitas estaduais. 

A falta de recursos para a conclusão da Linha 4 é apenas só mais um dos problemas que o projeto de ligação entre Zona Sul e Barra da Tijuca enfrenta. Os trabalhos foram iniciados em 2010 e, em maio de 2014, foram interrompidos por seis meses em consequência do afundamento do terreno em Ipanema, durante escavações do túnel pelo tatuzão. Duas crateras se abriram na Rua Barão da Torre, assustando moradores e suscitando críticas às obras.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247