Vídeo mostra nova agressão em Paraisópolis: PM bate com pedaço de pau e ri

Imagens de São Paulo mostram policial batendo gratuitamente com um pedaço de pau em adolescentes que passam em forma de fila e com as mãos na cabeça. Até um jovem que anda com muletas é agredido

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Pouco mais de dois dias depois do massacre ocorrido em Paraisópolis, favela da zona sul de São Paulo, onde a Polícia Militar matou 9 jovens pisoteados e sufocados após uma ação em um baile funk na madrugada de sábado para domingo, circula nas redes sociais um vídeo com uma nova agressão da polícia. Segundo o site Ponte, o episódio também aconteceu em Paraisópolis. 

Nas imagens, um policial bate gratuitamente com um pedaço de pau em adolescentes que passam em forma de fila e com as mãos na cabeça. Até um jovem que anda com muletas é agredido pelo PM, que em um momento para para rir e conversar com outra pessoa. 

O vídeo - em duas versões, uma curta e outra completa - foi publicado pelo repórter André Caramante no Twitter. Caramante cobra o governador de São Paulo, João Doria, por punição ao PM: 

"Senhor @jdoriajr, quem é o PM das imagens? Quem ocupa o posto de governador do Estado tem o dever de controlar suas polícias. Nas imagens, o policial agride até mesmo um rapaz que caminha com o auxílio de muletas", questiona ele, na primeira postagem.

"Caso ajude, senhor @jdoriajr, segue o vídeo na íntegra. Espero que possa ajudar a identificar o servidor público subordinado ao senhor", escreve no segundo tuíte. Veja:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email