Violência no Rio faz Pezão e Dornelles irem ao governo federal

Governo federal recebe o governador licenciado do Rio, Luiz Fernando Pezão, e o governador em exercício, Francisco Dornelles, para tratar da segurança pública no estado; a violência e a criminalidade no estado têm alarmado as autoridades e a população; até o momento, governo federal enviou 620 homens da Força Nacional de Segurança e mais 380 policiais rodoviários federais ao estado, com a missão principal de combater o roubo de cargas e a entrada de armas e munições pelas rodovias; só este ano, morreram 89 policiais militares, de folga ou de serviço, em ações de criminosos, no estado do Rio

Governo federal recebe o governador licenciado do Rio, Luiz Fernando Pezão, e o governador em exercício, Francisco Dornelles, para tratar da segurança pública no estado; a violência e a criminalidade no estado têm alarmado as autoridades e a população; até o momento, governo federal enviou 620 homens da Força Nacional de Segurança e mais 380 policiais rodoviários federais ao estado, com a missão principal de combater o roubo de cargas e a entrada de armas e munições pelas rodovias; só este ano, morreram 89 policiais militares, de folga ou de serviço, em ações de criminosos, no estado do Rio
Governo federal recebe o governador licenciado do Rio, Luiz Fernando Pezão, e o governador em exercício, Francisco Dornelles, para tratar da segurança pública no estado; a violência e a criminalidade no estado têm alarmado as autoridades e a população; até o momento, governo federal enviou 620 homens da Força Nacional de Segurança e mais 380 policiais rodoviários federais ao estado, com a missão principal de combater o roubo de cargas e a entrada de armas e munições pelas rodovias; só este ano, morreram 89 policiais militares, de folga ou de serviço, em ações de criminosos, no estado do Rio (Foto: Leonardo Lucena)

Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil

O presidente Michel Temer recebe o governador licenciado do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, e o governador em exercício, Francisco Dornelles, nesta quinta-feira (20), para tratar da segurança pública no estado. Também participam do encontro os ministros da Defesa, Raul Jungmann; do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Sérgio Etchegoyen; e da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que tem base eleitoral no Rio, também estará presente. A reunião será no Palácio do Planalto, às 11h.

A agenda presidencial já previa uma reunião sobre a política nacional de segurança, mas durante jantar na casa do presidente da Câmara, ocorrido ontem (18), o deputado conversou com Temer sobre os problemas de segurança no Rio de Janeiro e os representantes do estado foram incluídos na agenda. Dessa forma, a reunião vai tratar de segurança de uma maneira geral, mas discutirá também o crescimento da violência no Rio.

A violência e a criminalidade no estado têm alarmado as autoridades e a população. O governador interino Francisco Dornelles e o prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, fizeram ontem um apelo conjunto por apoio federal. Eles se reuniram no Palácio Guanabara, sede do governo estadual, e firmaram compromisso de se unirem para enfrentar a crise na segurança pública.

O aumento da criminalidade no Rio avançou também para o roubo de cargas, fazendo com que as empresas de transporte de carga ameaçassem hoje paralisar o serviço de entregas no estado, tendo como consequência o desabastecimento no comércio, se os roubos a caminhão não forem contidos.

O prefeito considera que o Rio é, atualmente, o epicentro da violência no Brasil e disse que já foi prometido, pelo governo federal, medidas para combater a violência no estado. “O estado e a capital estão juntos, pedindo e fazendo um apelo veemente para que, aquilo que nos foi prometido, seja cumprido”, disse Crivella, lembrando a necessidade de mais reforços da Polícia Rodoviária Federal, das Forças Armadas e da Polícia Federal.

Até o momento, governo federal enviou 620 homens da Força Nacional de Segurança e mais 380 policiais rodoviários federais ao estado, com a missão principal de combater o roubo de cargas e a entrada de armas e munições pelas rodovias. Só este ano, morreram 89 policiais militares, de folga ou de serviço, em ações de criminosos, no estado do Rio.

Licença

Para participar da reunião em Brasília, Pezão vai suspender temporariamente sua licença médica, que começou no último domingo (16). O afastamento, previsto para durar até domingo (23), se deve a problemas de saúde relacionados ao quadro metabólico do governador, como descompensação do diabetes e aumento de peso.

Desde que começou a licença, Pezão se hospedou no Spa Rituaali, em Penedo, no sul fluminense. A escolha do local foi alvo de críticas de servidores do estado, que consideraram a atitude um desrespeito ao funcionalismo e à população, pelos atrasos de salários, falta de segurança e dificuldades no sistema de saúde estadual.

 

*Colaborou Cristina Indio do Brasil, do Rio de Janeiro

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247