Violoncelista negro é preso em Niterói (RJ); vídeo aponta engano

Luiz Carlos da Costa Justino, violoncelista que integra o projeto Orquestra de Cordas da Grota desde os sete anos de idade, foi preso por engano e colegas fazem apelo. Registros em vídeo mostram que o jovem estava trabalhando, em Niterói (RJ), no momento do crime pelo qual é acusado

Violoncelista é preso por engano
Violoncelista é preso por engano (Foto: Mariana Gama)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasil de Fato - Na última quarta-feira (2), Luiz Carlos da Costa Justino, jovem negro integrante do projeto Orquestra de Cordas da Grota, no município de Niterói, região metropolitana do Rio de Janeiro, foi preso sob a acusação de um roubo à mão armada ocorrido, em 2017, no município.

Moradores da comunidade da Grota, zona sul da cidade, e professores do projeto social que o rapaz faz parte afirmam que a prisão do violoncelista foi um engano e pedem justiça. Registros em vídeo confirmam a defesa feita por colegas de Luiz.

O jovem de 23 anos foi abordado, por volta das 19h30, da última quarta-feira (2) por policiais do Niterói Presente após terminar uma apresentação musical nas Barcas, no centro do município. Quando os agentes puxaram a ficha do músico, viram que tinha um mandado de prisão de 2017 que o acusava de assalto. De acordo com o despacho que consta no processo, o crime teria ocorrido às 8h30, no bairro Vila Progresso, no dia cinco de novembro de 2017. O reconhecimento feito pela vítima teria ocorrido a partir de uma fotografia.

Segundo Alexandra Oliveira, professora da Orquestra de Cordas da Grota, projeto que surgiu na década de 1980 para crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social na comunidade da Grota, há imagens que provam que o violoncelista estava trabalhando padaria Le Dépanneur, no bairro de Piratininga, no momento do crime.

“Temos informações de que ele tinha um contrato com uma padaria e tocava todo domingo no mesmo horário que está a possível situação pela qual ele foi preso. A data do ocorrido foi cinco de novembro de 2017 e nesta mesma data achamos um vídeo dessa padaria dizendo que ele estava lá às 8h da manhã para se apresentar”, detalha.

Luiz integra o projeto desde os sete anos de idade e participa atualmente  da orquestra principal, que é formada por professores e membros da instituição. O jovem permanece preso e foi transferido para a Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio. Um advogado já acompanha o caso e trabalha para a liberação de Luiz.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email