Votação da venda da Cedae começa nesta segunda

A votação do projeto de lei que autoriza a venda da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) está prevista para começar na manhã desta segunda-feira (20); as ações da companhia vão viabilizar um empréstimo de R$ 3,5 bilhões da União, uma contrapartida exigida pelo governo federal para dar socorro financeiro ao Rio;  

A votação do projeto de lei que autoriza a venda da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) está prevista para começar na manhã desta segunda-feira (20); as ações da companhia vão viabilizar um empréstimo de R$ 3,5 bilhões da União, uma contrapartida exigida pelo governo federal para dar socorro financeiro ao Rio;

 
A votação do projeto de lei que autoriza a venda da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) está prevista para começar na manhã desta segunda-feira (20); as ações da companhia vão viabilizar um empréstimo de R$ 3,5 bilhões da União, uma contrapartida exigida pelo governo federal para dar socorro financeiro ao Rio;   (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio 247 - A votação do projeto de lei que autoriza a venda da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae) está prevista para começar às 11h desta segunda-feira (20). As ações da companhia vão viabilizar um empréstimo de R$ 3,5 bilhões da União, uma contrapartida exigida pelo governo federal para dar socorro financeiro ao Rio.

Pelo acordo entre os executivos estadual e a União, com a venda da companhia, o Rio não precisará mais pagar a dívida com o governo federal. As medidas do plano trarão um alívio de R$ 62 bilhões em três anos, de acordo com o governo do estado.

Na sexta-feira (17), o presidente da Casa, Jorge Picciani, disse que a votação pode ser estender por toda a semana. Para garantir a discussão, o projeto segue na pauta na terça (21), na quarta (22) e na quinta (23).

Para ser aprovada, a matéria precisa de votos favoráveis da maioria simples dos 70 deputados, ou seja, metade mais um voto dos parlamentares presentes na sessão.

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247