Witzel espalha fake news sobre parque da Disney no Rio e é desmentido pela empresa

“A Disney está sempre buscando caminhos para expandir seus negócios e, como parte desse processo, conversa com diferentes entidades. Embora o Brasil seja um mercado atrativo, no momento não há planos para a construção de parques na região”, divulgou a empresa, em nota oficial

(Foto: Fernando Frazão - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Da revista Fórum – O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, tem certa fixação em mentir quando o assunto envolve os Estados Unidos. Além de ter mentido que fez doutorado na Universidade de Harvard, o ex-juiz federal anuciou na segunda-feira (30) ter oferecido um terreno para que a Disney fizesse um empreendimento no Rio de Janeiro. O negócio geraria emprego e fomentaria o turismo no estado. Mas o discurso não passou de mais uma mentira do governador.

“Eu consegui um terreno agora lá em Guaratiba de 5 milhões de m². Estou oferecendo para os empreendimentos Disney para que a gente tenha um grande parque no Rio de Janeiro”, disse Witzel. A declaração do governador fluminense ocorreu durante o Rock in Rio. Empolgado com os shows, Witzel soltou a informação falsa.

A notícia, no entanto, logo foi desmentida pela empresa estadunidense de entretenimento. “A Disney está sempre buscando caminhos para expandir seus negócios e, como parte desse processo, conversa com diferentes entidades. Embora o Brasil seja um mercado atrativo, no momento não há planos para a construção de parques na região”, informou a companhia por meio de nota oficial.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247