Zambelli, ex-aliada de Moro, agora revela: "ele tinha predileção em condenar o PT"

"Ele tinha predileção em condenar o PT", afirmou a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) em referência a Sérgio Moro, após o ex-ministro revelar que Jair Bolsonaro queria interferência na PF. Entusiasta da Lava Jato, Zambelli foi a maior aliada de Moro no Congresso

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) disparou críticas contra o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro, que revelou no mês passado a intenção de Jair Bolsonaro em interferir na Polícia Federal. Zambelli era, até a ruptura entre Moro e Bolsonaro, uma das maiores defensoras da Lava Jato e uma das maiores aliadas do ex-ministro, que foi seu padrinho de casamento.

"Ele tinha predileção em condenar o PT", afirmou a parlamentar, de acordo com a jornalista Kelly Matos. "Os colegas da PF falavam sobre o fato de que a Lava Jato era muito em cima do PT. Era uma percepção interna de que não se falava em PSDB", acrescentou Zambelli. 

Na condição de juiz da Operação Lava Jato, Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sem provas no processo do triplex em Guarujá (SP). O principal nome do PT era acusado de ter recebido um apartamento como propina da OAS, mas nunca dormiu nem tinha a chave do imóvel. 

Um reportagem do Intercept Brasil apontou que o procurador Dallagnol duvidava da existência de provas contra Lula, acusado de ter recebido um apartamento da OAS como propina. 

Moro recebeu o convite da equipe de Bolsonaro para ser ministro ainda durante a campanha eleitoral. Depois liberou a delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci a uma semana do primeiro turno. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247