Advogado de Lula critica presença de membros da Lava Jato em lançamento de filme

O advogado Cristiano Zanin Martins‏, defensor do ex-presidente Lula, criticou a presença de juízes e procuradores que compareceram nesta segunda-feira 28 à pré-estreia do filme sobre a Lava Jato, em Curitiba; além de membros da força-tarefa, o juiz Sergio Moro e Marcelo Bretas estiveram no evento; “Nada justifica que membros da Lava Jato estejam no lançamento de filme relacionado a violação de garantias fundamentais em discussão na ONU”, tuitou o advogado

O advogado Cristiano Zanin Martins‏, defensor do ex-presidente Lula, criticou a presença de juízes e procuradores que compareceram nesta segunda-feira 28 à pré-estreia do filme sobre a Lava Jato, em Curitiba; além de membros da força-tarefa, o juiz Sergio Moro e Marcelo Bretas estiveram no evento; “Nada justifica que membros da Lava Jato estejam no lançamento de filme relacionado a violação de garantias fundamentais em discussão na ONU”, tuitou o advogado
O advogado Cristiano Zanin Martins‏, defensor do ex-presidente Lula, criticou a presença de juízes e procuradores que compareceram nesta segunda-feira 28 à pré-estreia do filme sobre a Lava Jato, em Curitiba; além de membros da força-tarefa, o juiz Sergio Moro e Marcelo Bretas estiveram no evento; “Nada justifica que membros da Lava Jato estejam no lançamento de filme relacionado a violação de garantias fundamentais em discussão na ONU”, tuitou o advogado (Foto: Gisele Federicce)

Por Esmael Morais - O advogado Cristiano Zanin Martins‏, defensor do ex-presidente Lula, bateu duro no estrelismo de juízes e procuradores que compareceram nesta segunda-feira (28) à pré-estreia do filme sobre a lava jato.

“Nada justifica que membros da Lava Jato estejam no lançamento de filme relacionado a violação de garantias fundamentais em discussão na ONU”, tuitou o advogado do petista.

Segundo relato da Folha, os 2.200 espectadores convidados para a sessão num shopping de Curitiba riram muito da reprodução de conversas entre Lula e Dilma — grampeadas ilegalmente e vazadas à Globo pelo juiz Sérgio Moro.

Jornal GGN confirma que mão foram só as imagens do triplex e da condução coercitiva de Lula que o filme da Lava Jato usou como forma de entretenimento. “O grampo em Dilma e no ex-presidente, vazado à imprensa pelo juiz Sergio Moro, também é exposto na obra que será lançada na próxima semana.”

O episódio do vazamento do grampo foi um dos mais marcantes em toda a operação por gerar um debate na comunidade jurídica dos abusos cometidos por Sergio Moro. Apesar de ser repreendido pelo então ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki, Moro não sofreu nenhuma sanção e tampouco se arrepende de ter violado um direito constitucional da presidência da República.

No filme que será lançado nacionalmente na semana que vem não há nenhuma menção aos supersalários de juízes, auxílio-moradia, tráfico de influência nas delações premiadas, venda de palestras, etc.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247