Cafezinho: Lava Jato tenta conter crescimento de Gleisi no cenário político

"Com Gleisi se destacando internacionalmente como porta-voz do ex-presidente Lula, Lava-jato produz outra uma denúncia contra o PT. Mais um factoide em forma de denúncia para alimentar a imprensa golpista contra a esquerda brasileira acaba de ser anunciada às vésperas das manifestações de primeiro de maio – que tende a ser o maior da história do país", diz Gabriel Dias, no Cafezinho

"Com Gleisi se destacando internacionalmente como porta-voz do ex-presidente Lula, Lava-jato produz outra uma denúncia contra o PT. Mais um factoide em forma de denúncia para alimentar a imprensa golpista contra a esquerda brasileira acaba de ser anunciada às vésperas das manifestações de primeiro de maio – que tende a ser o maior da história do país", diz Gabriel Dias, no Cafezinho
"Com Gleisi se destacando internacionalmente como porta-voz do ex-presidente Lula, Lava-jato produz outra uma denúncia contra o PT. Mais um factoide em forma de denúncia para alimentar a imprensa golpista contra a esquerda brasileira acaba de ser anunciada às vésperas das manifestações de primeiro de maio – que tende a ser o maior da história do país", diz Gabriel Dias, no Cafezinho (Foto: Leonardo Lucena)

Por Gabriel Dias, no Cafezinho - Com Gleisi se destacando internacionalmente como porta-voz do ex-presidente Lula, Lava-jato produz outra uma denúncia contra o PT.

Mais um factoide em forma de denúncia para alimentar a imprensa golpista contra a esquerda brasileira acaba de ser anunciada às vésperas das manifestações de primeiro de maio – que tende a ser o maior da história do país.

No mesmo dia em que O Globo ataca o PT, o Ministério Público Federal, com base apenas em depoimentos da Odebrecht, não perde tempo e apresenta mais uma denúncia contra Lula, Gleisi, Palocci e Paulo Bernardo. Os crimes, segundo o MP, seriam de lavagem de dinheiro e corrupção passiva – as mesmas que levaram Lula para o cumprimento de sua prisão política em Curitiba e visam acelerar a homologação da colaboração premiada de Palocci.

Como prática da república de Curitiba, mesmo depoimentos extrajudiciais são utilizados como prova, segundo informa a própria procuradoria: “Há, ainda, confissões extrajudiciais e comprovação de fraude na prestação de informações à Justiça Eleitoral”.

Com o objetivo de que Lula torne-se preso político perpétuo, a PGR ainda solicita “a condenação do ex-presidente Lula, dos ex-ministros e do chefe de gabinete por corrupção passiva (artigo 317 do Código Penal) e de Marcelo Odebrecht, por corrupção ativa (artigo 333 do Código Penal)”.

Caberá agora ao ministro relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, decidir se aceita ou não a denúncia de Raquel Dodge.

As informações divulgadas pela PGR estão disponíveis neste link.

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247