CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Sul

CCJ analisa reajuste 8,17% a professores do Paraná

Os deputados que compõem a base de sustentação do governador Beto Richa (PSDB), na Assembleia Legislativa do Paraná, salvo melhor juízo, deverão defenestrar a proposta de reposição salarial de 8,17% para os professores e servidores públicos do estado; a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Legislativo analisa, nesta segunda-feira (22), um recurso ao parecer que declarou o reajuste "inconstitucional", na semana passada, pelo placar de 8 votos a 4

Imagem Thumbnail
EE Dr Jose Americo de Almeida, no Rio Pequeno, zona oeste da capital. foto Milton Michida/A2 São Paulo,05/09/2012 (Foto: Leonardo Lucena)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Blog do Esmael - Os deputados que compõem a base de sustentação do governador Beto Richa (PSDB), na Assembleia Legislativa do Paraná, salvo melhor juízo, deverão defenestrar nesta segunda-feira (22) a proposta de reposição salarial de 8,17% para os professores e servidores públicos do estado.

Por volta das 13h30, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) analisa um recurso ao parecer que declarou o reajuste "inconstitucional", na semana passada, pelo placar de 8 votos a 4.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Pelo script do Palácio Iguaçu, se tudo sair como planejado, a emenda da oposição que favorece o funcionalismo público será "gongada" na CCJ pela fiel "Bancada do Camburão" — aquela que deu uma voltinha no "caveirão" do ex-secretário Fernando Francishini.

O governo Richa tem pressa, por isso pretende votar no plenário ainda nesta tarde o parecer "contrário" ao reajuste na data-base. Ou seja, o Palácio Iguaçu imagina fazer 31 votos favoráveis à "inconstitucionalidade" da reposição salarial.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O que salta aos olhos é que a Assembleia, esta mesma que está prestes a negar a recomposição aos servidores de carreira, faz ouvidos moucos para os supersalários no governo de Beto Richa. Uma verdadeira farra ocorre entre poucos no executivo e judiciário. Por que essa orgia seria legal para o andar de cima?

A emenda da oposição prevê reajuste imediato ao funcionalismo de 8,17% a ser pago na folha de junho, retroativo a maio. O texto também propõe o pagamento sobre gratificações e outras vantagens, além de determinar o reajuste aos trabalhadores da Paraná Educação e das Apaes.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O governo propõe fazer a recomposição da inflação através de reajuste de 3,45% em outubro e o restante somente em janeiro de 2016. O texto governista exclui pagamento sobre gratificações e não prevê reajuste aos funcionários da Paraná Educação e Apaes.

Subscrevem o recurso os oito parlamentares que assinaram a emenda da oposição: Ademir Bier, Anibelli Neto, Nereu Moura e Requião Filho (PMDB), Péricles de Mello, Professor Lemos e Tadeu Veneri (PT) e Nelson Luersen (PDT).

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO