CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Sul

Cerca de 1/3 das publicações no X sobre crise no RS tenta descredibilizar poder público, afirma estudo

As postagens aderem a um discurso de que o governo e entidades governamentais não estariam agindo em prol da população

Elon Musk (Foto: Gonzalo Fuentes / Reuters I Reuters)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 – Um novo estudo conduzido pela Universidade de São Paulo (USP) revela que aproximadamente um terço (31%) das publicações feitas entre as 10h e 14h desta sexta-feira (10) na plataforma X, rede social do bilionário Elon Musk, abordam a crise climática no Rio Grande do Sul com o intuito de desacreditar as ações do poder público.

Segundo o autor da pesquisa, o professor de gestão de políticas públicas Pablo Ortellado, tais postagens aderem a um discurso de que o governo e entidades governamentais não estariam agindo em prol da população gaúcha, chegando até mesmo a criar obstáculos para o fornecimento de equipamentos de resgate e doações.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

'É um volume muito grande, de quase um terço das publicações sobre o tema e nos parece que a situação no Twitter/ X não é diferente de outras plataformas de mídias sociais ou de aplicativos de mensagens", disse Ortellado em entrevista à GloboNews.

O estudo analisa apenas se a publicação adere ao discurso de descredibilização do governo, não entrando no mérito se a informação é verdadeira ou falsa. Muitas das pautas levantadas, porém, já foram desmentidas por agências de checagem e instituições envolvidas com operações de resgate no estado gaúcho.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Na sexta-feira, o advogado-geral da União, Jorge Messias, esteve com representantes de plataformas digitais para discutir estratégias de combate à desinformação. Segundo o advogado-geral, a maioria das empresas presentes demonstrou interesse em colaborar com a causa. (Com informações do g1).

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Relacionados

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO