Dallagnol: Congresso quer anistiar a corrupção e acabar com a Lava Jato

"Eles introduzem um debate de anistia ao caixa 2. Mas qual seria o interesse de anistiar um crime se ninguém é condenado? A consequência no Brasil do crime de caixa 2 é nenhuma. Esse debate apenas é uma roupagem para anistiar a corrupção", diz o procurador Deltan Dallagnol; de fato, o principal objetivo do golpe conta a democracia e contra a presidente Dilma Rousseff, executado em 2016, foi estancar a sangria da Lava Jato; o segundo, retirar direitos dos trabalhadores brasileiros e garantir lucro dos rentistas

O procurador da República Deltan Dallagnol, que integra o núcleo da Operação Lava Jato, participa de lançamento, no Rio, do projeto 10 Medidas Contra a Corrupção, do MPF (Vladimir Platonow/Repórter da Agência Brasil)
O procurador da República Deltan Dallagnol, que integra o núcleo da Operação Lava Jato, participa de lançamento, no Rio, do projeto 10 Medidas Contra a Corrupção, do MPF (Vladimir Platonow/Repórter da Agência Brasil) (Foto: Leonardo Attuch)

Paraná 247 – O procurador Deltan Dallagnol acusou o Congresso brasileiro de querer anistiar o caixa dois e acabar com a Lava Jato.

"Eles introduzem um debate de anistia ao caixa 2. Mas qual seria o interesse de anistiar um crime se ninguém é condenado? A consequência no Brasil do crime de caixa 2 é nenhuma. Esse debate apenas é uma roupagem para anistiar a corrupção", disse ele.

"O caixa 2 é sim nocivo. O dinheiro não é declarado porque é fruto de corrupção ou porque é usado para a compra de votos. Caso contrário, não haveria razão para que o dinheiro não fosse declarado. O nosso sistema hoje não prevê um crime de caixa 2 consistente", afirmou ainda.

De fato, o principal objetivo do golpe conta a democracia e contra a presidente Dilma Rousseff, executado em 2016, foi estancar a sangria da Lava Jato. O segundo, retirar direitos dos trabalhadores brasileiros e garantir lucro dos rentistas.

 

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247