Defensoria derruba liminares de Richa que reintegravam escolas

Coordenador-geral da Defensoria, Geraldo da Silva disse que a reintegração de posse das escolas de São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, foi suspensa pelo TJ-PR, após a Defensoria ingressar com Agravo de Instrumento, em virtude de iminente dano a direitos dos estudantes; “Não se trata de emitir juízo de valor, mas o que a Defensoria propõe é que o diálogo resolva o impasse, nunca a violência policial”; no Paraná, o número de escolas ocupadas contra a MP do Ensino Médio passa de 300; estudantes gravaram um vídeo chamando o governador Beto Richa (PSDB) de "corrupto e ladrão" após ele acusar o movimento de ser politizado; professores também protestam e fazem greve

Coordenador-geral da Defensoria, Geraldo da Silva disse que a reintegração de posse das escolas de São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, foi suspensa pelo TJ-PR, após a Defensoria ingressar com Agravo de Instrumento, em virtude de iminente dano a direitos dos estudantes; “Não se trata de emitir juízo de valor, mas o que a Defensoria propõe é que o diálogo resolva o impasse, nunca a violência policial”; no Paraná, o número de escolas ocupadas contra a MP do Ensino Médio passa de 300; estudantes gravaram um vídeo chamando o governador Beto Richa (PSDB) de "corrupto e ladrão" após ele acusar o movimento de ser politizado; professores também protestam e fazem greve
Coordenador-geral da Defensoria, Geraldo da Silva disse que a reintegração de posse das escolas de São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, foi suspensa pelo TJ-PR, após a Defensoria ingressar com Agravo de Instrumento, em virtude de iminente dano a direitos dos estudantes; “Não se trata de emitir juízo de valor, mas o que a Defensoria propõe é que o diálogo resolva o impasse, nunca a violência policial”; no Paraná, o número de escolas ocupadas contra a MP do Ensino Médio passa de 300; estudantes gravaram um vídeo chamando o governador Beto Richa (PSDB) de "corrupto e ladrão" após ele acusar o movimento de ser politizado; professores também protestam e fazem greve (Foto: Leonardo Lucena)

247, com Blog do Esmael - O coordenador-geral da Defensoria, Geraldo da Silva, explicou que a reintegração de posse das escolas de São José dos Pinhais foi suspensa pelo Tribunal de Justiça do Paraná, após a Defensoria Pública ingressar com Agravo de Instrumento — em virtude de iminente dano a direitos dos estudantes.

A decisão favorável à Defensoria no TJPR coube ao juiz substituto Guilherme Frederico Hernandez Denz.

O defensor público afirmou ainda que decisões de juízes das comarcas no interior do estado, todas elas, tem sido padronizadas no sentido de não conceder a reintegração de posse porque as escolas continuam abertas à comunidade. “Não se trata de emitir juízo de valor, mas o que a Defensoria propõe é que o diálogo resolva o impasse, nunca a violência policial”, completou Geraldo da Silva.

Abaixo, leia a íntegra da decisão do TJPR que suspendeu as reintegrações de posse:

Ocupações e greve na educação

Dados do Movimento Ocupe Paraná apontou que o número de escolas ocupadas no estado passa de 300. Estudantes protestam contra a MP do Ensino Médio, que prevê ampliação da carga horária do ensino médio para 1.400 horas - atualmente são 800, de acordo com o Ministério da Educação (MEC). A MP prevê redução da carga das disciplinas obrigatórias, dentre elas filosofia e sociologia, e aumento da carga cinco áreas de conhecimento, de acordo com a escolha do aluno: linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas e formação técnica e profissional.

Críticos do projeto defendem que a proposta visa estimular mais a formação voltada para o mercado do que a formação crítica, reflexiva. Também entendem que o projeto, ao fomentar a formação "mercadológica", tem como objetivo favorecer empresas de educação do setor privado, especialmente as de cursos técnico.

Os defensores do projeto afirmam que, ao dar ao aluno a opção de focar mais em uma das cinco áreas de conhecimento, gradualmente o País terá menos precariedade de formação que atenda ao mercado.

Estudantes gravaram um vídeo chamando o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), de "corrupto e ladrão" (veja aqui). O tucano havia acusado as manifestações de serem politizadas.

Greve dos professores

O protesto dos estudantes se soma a uma greve dos professores do ensino básico e das universidades do Estado. Os docentes são contra o pedido oficial do governador Beto Richa (PSDB) à Assembleia Legislativa do Paraná para que os deputados estaduais aprovem mudanças em uma lei condicionando o reajuste salarial anual à "comprovada disponibilidade orçamentária e financeira".

Na quinta-feira da semana passada (6), em Cascavel, Richa afirmou que a movimentação dos professores é uma "brincadeira". Um dia depois, na inauguração de uma fábrica em Guarapuava, o tucano disse os estudantes não sabem porque protestam. "Sindicatos ligados a CUT e ao PT, que querem a baderna, usam de forma criminosa as nossas crianças das escolas, que estão nas ruas protestando não sabem nem porque, em uma perfeita doutrinação ideológica", disse.

 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247