Defesa pede liberdade a Rocha Loures ao Supremo

Defesa do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) apresentou nesta segunda-feira 5 pedido de liberdade ao Supremo Tribunal Federal; Loures foi preso no último sábado (3), por determinação do ministro Edson Fachin, em Brasília; ele foi flagrado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil da JBS; segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a prisão de Loures é "imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal"

Defesa do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) apresentou nesta segunda-feira 5 pedido de liberdade ao Supremo Tribunal Federal; Loures foi preso no último sábado (3), por determinação do ministro Edson Fachin, em Brasília; ele foi flagrado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil da JBS; segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a prisão de Loures é "imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal"
Defesa do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) apresentou nesta segunda-feira 5 pedido de liberdade ao Supremo Tribunal Federal; Loures foi preso no último sábado (3), por determinação do ministro Edson Fachin, em Brasília; ele foi flagrado pela Polícia Federal recebendo uma mala com R$ 500 mil da JBS; segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a prisão de Loures é "imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal" (Foto: Gisele Federicce)

André Richter - Repórter da Agência Brasil

A defesa do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) apresentou nesta segunda-feira (5) pedido de liberdade ao Supremo Tribunal Federal (STF). Loures foi preso no último sábado (3), por determinação do ministro Edson Fachin, e está detido na Superintendência da Polícia Federal em Brasília.

O ex-deputado foi flagrado pela Polícia Federal (PF) recebendo uma mala com R$ 500 mil na Operação Patmos, investigação baseada na delação premiada da JBS. O ministro atendeu a um pedido feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Segundo o procurador, a prisão de Loures é "imprescindível para a garantia da ordem pública e da instrução criminal".

O pedido foi feito após o ex-ministro da Justiça Osmar Serraglio voltar para o cargo de deputado federal pelo PMDB do Paraná. Com o retorno, Loures, que era suplente de Serraglio, perdeu o foro privilegiado.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247