Delação de Costa pode ser revista na Lava Jato

Ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa é suspeito de ter omitido nomes de políticos envolvidos e dinheiro obtido com o esquema de corrupção na Petrobras; em delação, o lobista Fernando Baiano afirmou ter pago de R$ 20 milhões a R$ 25 milhões para Costa, mas este declarou que só recebeu cerca de US$ 4 milhões; a rescisão do acordo não implicaria na anulação das provas geradas a partir dos depoimentos

Ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa é suspeito de ter omitido nomes de políticos envolvidos e dinheiro obtido com o esquema de corrupção na Petrobras; em delação, o lobista Fernando Baiano afirmou ter pago de R$ 20 milhões a R$ 25 milhões para Costa, mas este declarou que só recebeu cerca de US$ 4 milhões; a rescisão do acordo não implicaria na anulação das provas geradas a partir dos depoimentos
Ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa é suspeito de ter omitido nomes de políticos envolvidos e dinheiro obtido com o esquema de corrupção na Petrobras; em delação, o lobista Fernando Baiano afirmou ter pago de R$ 20 milhões a R$ 25 milhões para Costa, mas este declarou que só recebeu cerca de US$ 4 milhões; a rescisão do acordo não implicaria na anulação das provas geradas a partir dos depoimentos (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Uma das peças centrais das investigações da Lava Jato, o ex-diretor de abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa poderá ter a sua delação premiada revista.

Ele é suspeito de ter omitido nomes de políticos envolvidos e dinheiro obtido com o esquema de corrupção na Petrobras, segundo reportagem de André Guilherme Vieira.

A rescisão não implicaria na anulação das provas geradas a partir dos depoimentos. Segundo a cláusula número 24 da colaboração premiada, em caso de rescisão do acordo, o colaborador perderá automaticamente o direito aos benefícios concedidos, "com a manutenção da validade das provas já produzidas".

As suspeitas contra Costa foram ampliadas pelas declarações de outro delator, o lobista Fernando Baiano, que afirmou ter pago de R$ 20 milhões a R$ 25 milhões para o ex-diretor. Costa, no entanto, disse que só recebeu cerca de US$ 4 milhões (leia mais).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247