CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Sul

'Demagogia tem limite', diz Pimenta para Francischini

Durante sessão da Câmara, em que se discutia a correção da tabela do imposto de renda, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) rebateu declaração do deputado Fernando Francischini (SSD) quando este classificou como "malvadeza" a posição da bancada governista; Pimenta afirmou que "até hoje o Centro de Curitiba está manchado com o sangue de centenas de professores, que foram espancados barbaramente, numa ação violenta jamais vista nesse país, no momento em que ele (Francischini) era secretário de Segurança, e por conta desse episódio foi corrido do governo do Estado e mandado de volta para Brasília"

Imagem Thumbnail
Durante sessão da Câmara, em que se discutia a correção da tabela do imposto de renda, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) rebateu declaração do deputado Fernando Francischini (SSD) quando este classificou como "malvadeza" a posição da bancada governista; Pimenta afirmou que "até hoje o Centro de Curitiba está manchado com o sangue de centenas de professores, que foram espancados barbaramente, numa ação violenta jamais vista nesse país, no momento em que ele (Francischini) era secretário de Segurança, e por conta desse episódio foi corrido do governo do Estado e mandado de volta para Brasília" (Foto: Leonardo Lucena)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Blog do Esmael - Durante sessão da Câmara dos Deputados na noite desta quarta-feira (17), em que se discutia a correção da tabela do imposto de renda, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) rebateu declaração do deputado Fernando Francischini (SSD) quando este classificou como "malvadeza" a posição da bancada governista.

Pimenta afirmou que "até hoje o Centro de Curitiba está manchado com o sangue de centenas de professores, que foram espancados barbaramente, numa ação violenta jamais vista nesse país, no momento em que ele (Francischini) era secretário de Segurança, e por conta desse episódio foi corrido do governo do Estado e mandado de volta para Brasília."

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

E completou: "É preciso que haja um limite até para a demagogia", arrancando fortes aplausos dos demais deputados presentes no plenário.

Francischni, nitidamente abalado, tentou retrucar com suas costumeiras acusações contra o PT e o governo Dilma, mas teve mesmo é que engolir o fato de que sua responsabilidade no massacre contra os professores e servidores do Paraná não será esquecida, nem aqui, nem em Brasília.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Para quem não sabe, Francischini é conhecido no Paraná como "Batman".

Assista ao vídeo: 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO