É piada? Não! Richa quer impeachment de Dilma

O governador do paraná, Beto Richa (PSDB), afirmou, nesta segunda-feira (9), que "devido à crise moral" vivida atualmente pelo Brasil "é possível" um eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff; além da defesa do impeachment, Richa também disse que o PT tentou utilizar as greves que paralisaram o Estado nas últimas semanas como uma forma de abafar o escândalo de corrupção na Petrobras; mergulhado em uma crise sem precedentes, Richa enfrentou uma onda de greves que paralisou o Estado e enfrentou protestos que pediam o seu impeachment, depois que ele tentou usar recursos da previdência dos servidores para pagar salários

O governador do paraná, Beto Richa (PSDB), afirmou, nesta segunda-feira (9), que "devido à crise moral" vivida atualmente pelo Brasil "é possível" um eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff; além da defesa do impeachment, Richa também disse que o PT tentou utilizar as greves que paralisaram o Estado nas últimas semanas como uma forma de abafar o escândalo de corrupção na Petrobras; mergulhado em uma crise sem precedentes, Richa enfrentou uma onda de greves que paralisou o Estado e enfrentou protestos que pediam o seu impeachment, depois que ele tentou usar recursos da previdência dos servidores para pagar salários
O governador do paraná, Beto Richa (PSDB), afirmou, nesta segunda-feira (9), que "devido à crise moral" vivida atualmente pelo Brasil "é possível" um eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff; além da defesa do impeachment, Richa também disse que o PT tentou utilizar as greves que paralisaram o Estado nas últimas semanas como uma forma de abafar o escândalo de corrupção na Petrobras; mergulhado em uma crise sem precedentes, Richa enfrentou uma onda de greves que paralisou o Estado e enfrentou protestos que pediam o seu impeachment, depois que ele tentou usar recursos da previdência dos servidores para pagar salários (Foto: Aline Lima)

Paraná 247 - O governador do paraná, Beto Richa (PSDB), afirmou, nesta segunda-feira (9), que "devido à crise moral" vivida atualmente pelo Brasil "é possível" um eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff. Além da defesa do impeachment, Richa também disse que o PT tentou utilizar as greves que paralisaram o Estado nas últimas semanas como uma forma de abafar o escândalo de corrupção na Petrobras.

"Está surgindo [a ideia do impeachment] no seio da sociedade, é um movimento puramente popular. Se houver clima nas ruas, o entendimento no Congresso... depende de uma série de fatores. É possível, o momento é muito crítico, político, no Brasil. Essa crise moral, essa crise financeira... Vamos ver qual vai ser a condução de todo esse episódio", disse o governador durante entrevista a uma emissora de televisão.
Richa também tem enfrentado uma série de problemas junto ao funcionalismo público estadual. Com o estado mergulhado em uma grave crise financeira, sindicalistas, funcionários públicos e membros da oposição deflagraram uma greve geral, além de pedirem o impeachment do tucano. Para poder pagar salários, ele anunciou até mesmo o confisco do fundo de previdência dos servidores estaduais, o que revoltou a categoria.

Segundo Richa, os sindicalistas querem prolongar a greve até o próximo dia 15 para "confundir a sociedade", como uma forme de nacionalizar a crise paranaense para conseguir desgastar a imagem do PSDB nacional. "Houve, sim, a presença articulada de interesses do PT [na greve] para embaralhar o jogo em função do difícil momento que esse partido atravessa, com denúncias, com petrolão, com mensalão, tudo vindo à tona, a lista do procurador Janot [procurador-geral Rodrigo Janot], a manifestação de impeachment marcada para 15 de março", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247