Ex-deputado Carli Filho é condenado a 9 anos por duplo homicídio

Ex-deputado estadual do Paraná Luiz Fernando Ribas Carli Filho (sem partido) foi condenado por duplo homicídio com dolo eventual a nove anos e quatro meses de prisão pelas mortes de Carlos Murilo de Almeida e Gilmar Rafael Souza Yared; segundo a denúncia do MP-PR, o carro Passat de Carli se deslocou em alta velocidade na avenida Monsenhor Ivo Zanlorenzi, no bairro Mossunguê, em Curitiba, e bateu no Honda Fit em que os dois jovens estavam; os dois morreram na hora, em 7 de maio de 2009

Ex-deputado estadual do Paraná Luiz Fernando Ribas Carli Filho (sem partido) foi condenado por duplo homicídio com dolo eventual a nove anos e quatro meses de prisão pelas mortes de Carlos Murilo de Almeida e Gilmar Rafael Souza Yared; segundo a denúncia do MP-PR, o carro Passat de Carli se deslocou em alta velocidade na avenida Monsenhor Ivo Zanlorenzi, no bairro Mossunguê, em Curitiba, e bateu no Honda Fit em que os dois jovens estavam; os dois morreram na hora, em 7 de maio de 2009
Ex-deputado estadual do Paraná Luiz Fernando Ribas Carli Filho (sem partido) foi condenado por duplo homicídio com dolo eventual a nove anos e quatro meses de prisão pelas mortes de Carlos Murilo de Almeida e Gilmar Rafael Souza Yared; segundo a denúncia do MP-PR, o carro Passat de Carli se deslocou em alta velocidade na avenida Monsenhor Ivo Zanlorenzi, no bairro Mossunguê, em Curitiba, e bateu no Honda Fit em que os dois jovens estavam; os dois morreram na hora, em 7 de maio de 2009 (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O ex-deputado estadual do Paraná Luiz Fernando Ribas Carli Filho (sem partido) foi condenado por duplo homicídio com dolo eventual a nove anos e quatro meses de prisão pelas mortes de Carlos Murilo de Almeida e Gilmar Rafael Souza Yared. O júri popular que o condenou ocorreu entre a terça-feira (27) e esta quarta-feira (28), na 2ª Vara Privativa do Tribunal do Júri, em Curitiba, O ex-parlamentar não vai para a prisão imediatamente e pode recorrer em liberdade.

De acordo com denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR), o carro Passat de Carli se deslocou em alta velocidade na avenida Monsenhor Ivo Zanlorenzi, no bairro Mossunguê, em Curitiba, e bateu no Honda Fit em que os dois jovens estavam. Os dois morreram na hora, em 7 de maio de 2009.

O então parlamentar dirigia em velocidade entre 161 km/h e 173 km/h, apontaram laudos periciais feitos posteriormente. Ele teve a carteira de habilitação cassada — 130 pontos e 30 multas, sendo 23 por excesso de velocidade. O ex-deputado estava alcoolizado (ele próprio confessou ter bebido e dirigido). Ele teve ferimentos graves na cabeça e ficou internado por quase um mês.

Durante esses nove anos, a defesa de Carli apresentou mais de 30 recursos no Tribunal de Justiça do Paraná, no Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal, mas todos foram negados.

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri foi formado por sete pessoas da sociedade civil, escolhidas por sorteio em um grupo de 25, previamente convocadas pela Justiça. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247