Ex-presidente da Petrobras, Bendine é denunciado na Lava Jato

O Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR) denunciou o ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine, que também presidiu o Banco do Brasil, e mais cinco pessoas pelos crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa lavagem de dinheiro, além de embaraço de investigação de infrações penais; Bendine foi preso em 27 de julho, na 42ª fase da Lava Jato, suspeito de receber R$ 3 milhões em propina da Odebrecht; segundo o MPF, crimes ocorreram de 2014 a 2017

O Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR) denunciou o ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine, que também presidiu o Banco do Brasil, e mais cinco pessoas pelos crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa lavagem de dinheiro, além de embaraço de investigação de infrações penais; Bendine foi preso em 27 de julho, na 42ª fase da Lava Jato, suspeito de receber R$ 3 milhões em propina da Odebrecht; segundo o MPF, crimes ocorreram de 2014 a 2017
O Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR) denunciou o ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine, que também presidiu o Banco do Brasil, e mais cinco pessoas pelos crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa lavagem de dinheiro, além de embaraço de investigação de infrações penais; Bendine foi preso em 27 de julho, na 42ª fase da Lava Jato, suspeito de receber R$ 3 milhões em propina da Odebrecht; segundo o MPF, crimes ocorreram de 2014 a 2017 (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Paraná 247 - O Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR) denunciou nesta terça-feira (22) o ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine, que também presidiu o Banco do Brasil, e mais cinco pessoas pelos crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa lavagem de dinheiro, e embaraço de investigação de infrações penais.

Bendine foi preso em 27 de julho, na 42ª fase da Lava Jato, suspeito de receber R$ 3 milhões em propina do Grupo Odebrecht. Os crimes ocorreram de 2014 a 2017, informou o MPF.

De acordo com as investigações, quando comandava o Banco do Brasil, Bendine pediu R$ 17 milhões à Odebrecht para rolar uma dívida da empresa com a instituição. Em delação premiada, Marcelo Odebrecht e Fernando Reis disseram que não pagaram o valor, porque acharam que Bendine não teria capacidade de influenciar no contrato.

Segundo o MPF, antes de assumir a presidência da Petrobras, em fevereiro de 2015, Bendine e um de seus operadores financeiros voltaram a pedir propina a Marcelo Odebrecht e a Fernando Reis, para que a empreiteira não fosse prejudicada em seus interesses na Petrobras.

Os delatores afirmaram que a construtora pagou os R$ 3 milhões pelo Setor de Operações Estruturadas, como era chamada a área responsável pelas propinas na empresa.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email