CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Sul

Gleisi critica prorrogação do pedágio no Paraná

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) tenta frear a proposta do governo Beto Richa (PSDB), que desembarca nesta quarta-feira (1º), em Brasília, com o intuito de prorrogar os contratos do pedágio no Paraná; a viagem acontece um dia após a CAEaprovar requerimento da parlamentar solicitando a presença do presidente do TCU, Augusto Nardes, para explicar o motivo de o órgão ainda não ter cobrado do Executivo estadual a redução do valor dos pedágios, conforme determinação em acórdão de 2012  

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) tenta frear a proposta do governo Beto Richa (PSDB), que desembarca nesta quarta-feira (1º), em Brasília, com o intuito de prorrogar os contratos do pedágio no Paraná; a viagem acontece um dia após a CAEaprovar requerimento da parlamentar solicitando a presença do presidente do TCU, Augusto Nardes, para explicar o motivo de o órgão ainda não ter cobrado do Executivo estadual a redução do valor dos pedágios, conforme determinação em acórdão de 2012   (Foto: Leonardo Lucena)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Blog do Esmael - A senadora Gleisi Hoffmann (PT) jogou água no chope da comitiva do governo Beto Richa (PSDB) que desembarca nesta quarta-feira (1º), em Brasília, com o intuito de prorrogar os contratos do "pedágio mais caro do mundo" no Paraná.

O grupo liderado pela vice-governadora Cida Borghetti (PROS) e o chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra (PSD), vai pedir ao ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, mais 20 anos de exploração de pedágio nas rodovias paranaenses em troca de investimentos.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A viagem acontece um dia após a Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) aprovar requerimento da senadora Gleisi solicitando a presença do presidente do TCU (Tribunal de Contas da União), Augusto Nardes, para explicar o motivo de o órgão ainda não ter cobrado do governo do Paraná, conforme determinação em acórdão de 2012: reduzir o lucro das empresas, considerado exorbitantes, e baixar o preço dos pedágios.

"Isso, em outras palavras, quer dizer que os investimentos desejados pelo setor produtivo já deveriam ter sido feitos. Prorrogar pedágio para fazê-los é cobrar da população duas vezes", afirmou ao Blog do Esmael a senadora Gleisi Hoffmann.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A prorrogação do pedágio foi colocada na pauta política pelo chefe da Casa Civil do Paraná quase ao mesmo tempo em que caiam bombas na cabeça de professores no Centro Cívico (clique aqui para relembrar). Em 2013, a presidenta Dilma Rousseff (PT) já havia dito NÃO ao próprio governador Beto Richa, em pedido semelhante, que beneficiava as concessionárias em detrimento dos usuários das rodovias paranaenses.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO