Governo do PR inaugura nova usina hidrelétrica

Com investimento de R$ 120 milhões, a Pequena Central Hidrelétrica Cavernoso II, localizada entre os municípios de Virmond e Candói, no Centro-Sul do Estado, tem potência de 19 megawatts, suficiente para atender 50 mil pessoas; em dezembro, o Estado inaugurou a hidrelétrica de Mauá, com investimento de R$ 1,7 bilhão

Governador Beto Richa inaugura a Pequena Central Hidrelétrica Cavernoso II, entre os municípios de Virmond e Candói, no Centro-Sul do Estado. Virmond, 16/08/2013. Foto: Jonas Oliveira/ANPr
Governador Beto Richa inaugura a Pequena Central Hidrelétrica Cavernoso II, entre os municípios de Virmond e Candói, no Centro-Sul do Estado. Virmond, 16/08/2013. Foto: Jonas Oliveira/ANPr (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência de Notícias do Paraná - O governador Beto Richa inaugurou nesta sexta-feira (16/08) a Pequena Central Hidrelétrica Cavernoso II, entre os municípios de Virmond e Candói, no Centro-Sul do Estado. Com investimento de R$ 120 milhões, a usina tem potência de 19 megawatts, suficiente para atender 50 mil pessoas.

É a segunda usina entregue pelo governo em menos de um ano. Em dezembro, depois de o Estado ficar 12 anos sem instalar novas usinas, Richa inaugurou a hidrelétrica de Mauá, um investimento de R$ 1,7 bilhão realizado em parceria entre a Copel e a Eletrosul. "É a segunda grande obra da Copel que inauguramos, e que trazem muitos benefícios para o Paraná e os paranaenses, principalmente a garantia de abastecimento de energia de qualidade", afirmou o governador.

Richa disse que a Copel foi uma grande companhia no passado e que volta a ser hoje, com o maior investimento de sua história. "Eu disse que a Copel e a Sanepar não ficariam só no atendimento ao Estado, mas que também iriam participar de forma direta e decisiva do desenvolvimento do Paraná, e é o que está acontecendo", frisou.

Há outra obra de geração em andamento, a da Usina Baixo Iguaçu, em Capanema. A Copel tem participação de 30% no empreendimento, que terá investimento total de R$ 1,6 bilhão, em parceria com a Neoenergia.

INVESTIMENTO - A Copel está fazendo um investimento recorde de R$ 4 bilhões no biênio 2013/2014. Segundo o presidente da Companhia, Lindolfo Zimmer, são diversas obras de usinas de geração de energia, linhas de transmissão, subestações e sistemas de distribuição. Somente no Paraná, as obras da Copel geram atualmente 4 mil empregos diretos. "Essas ações fazem da Copel uma das maiores empresas de energia do Brasil", enfatizou Zimmer.

A maior parte dos investimentos da Copel destina-se à execução de obras de melhoria, modernização, ampliação e reforço do sistema de distribuição de energia elétrica no Paraná, onde a empresa atende mais de 10 milhões de pessoas. Na distribuição, são realizadas 20 mil obras por ano, que vão desde a instalação de um pequeno transformador até a construção de subestações.

Na área de telecomunicações, a Copel completou sua rede de fibra óptica em todos os municípios do Paraná, tornando-o primeiro estado 100% digital do País.

DESENVOLVIMENTO - A Usina Cavernoso II deve gerar ao município de Virmond quase R$ 1 milhão por ano em repasse de ICMS. O recurso, segundo a prefeita Lenita Mierzva, será investido na saúde, educação e na melhoria de vida da população.

"O desenvolvimento chegou ao nosso município. Nosso comércio teve um grande avanço e empregos foram gerados durante as obras" ressaltou ela. O canteiro de obras da usina chegou a comportar 250 trabalhadores no pico de construção.

Sirlene Svartz, prefeita de Laranjeiras do Sul e presidente do Consórcio Intermunicipal Cantuquiriguaçu, disse que a usina traz desenvolvimento para toda a região. "Nós entendemos que trará desenvolvimento para toda a região da Cantu. Vai melhorar em todas as áreas, principalmente no nosso IDH", explicou.

O empreendimento Cavernoso II marca a retomada pela Copel da construção de pequenas centrais hidrelétricas. "Trata-se de uma estratégia bastante eficaz para propiciar novas oportunidades de crescimento social e econômico às diferentes regiões do Estado, ao mesmo tempo em que diversificamos a matriz energética", disse o presidente da Copel, Lindolfo Zimmer.

A primeira unidade geradora tem 6,33 megawatts de potência e começou a operar em fase de testes no dia 1º de maio de 2013. As outras duas unidades geradoras entraram em operação comercial em julho.

O empreendimento teve uma participação do Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (Lactec), que atuou em programas ambientais e de construção civil. Para obter o licenciamento ambiental da hidrelétrica, foi necessária a implantação de programas e subprogramas voltados à prevenção, mitigação e compensação de impactos ambientais.

A Divisão de Meio Ambiente do Lactec foi contratada pela Copel para execução de oito programas, desenvolvidos desde janeiro de 2011, entre eles levantamento, monitoramento e resgate de fauna terrestre e aquática; resgate do patrimônio arqueológico, limpeza da bacia de acumulação; inventário florestal da vegetação a ser suprimida; e monitoramento da estabilidade de encostas.

O Lactec foi contratado pela Copel para atividades, também, de supervisão e auditoria do controle tecnológico.

A fiscalização é feita por monitoramento da execução dos serviços de construção civil. Na PCH Cavernoso II, a equipe do Lactec realizou inspeções de campo nas frentes de serviço de lançamento de concreto, no laboratório central, na central de britagem e na central de concreto, assim como nos aterros experimentais, fiscalizando o lançamento de solos, filtros, transições e enrocamento no corpo da barragem.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email