Greca usa PowerPoint de Dallagnol para acusar Fruet

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), utilizou nesta segunda-feira (30) a tecnologia do PowerPoint do procurador Deltan Dallagnol, da Lava Jato, para denunciar suposto rombo de R$ 1,27 bilhão deixado pelo antecessor, Gustavo Fruet (PDT); a única diferença foi a cor: a apresentação de Dallagnol para tentar incriminar o ex-presidente Lula era azul, enquanto a de Grega é laranja

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), utilizou nesta segunda-feira (30) a tecnologia do PowerPoint do procurador Deltan Dallagnol, da Lava Jato, para denunciar suposto rombo de R$ 1,27 bilhão deixado pelo antecessor, Gustavo Fruet (PDT); a única diferença foi a cor: a apresentação de Dallagnol para tentar incriminar o ex-presidente Lula era azul, enquanto a de Grega é laranja
O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), utilizou nesta segunda-feira (30) a tecnologia do PowerPoint do procurador Deltan Dallagnol, da Lava Jato, para denunciar suposto rombo de R$ 1,27 bilhão deixado pelo antecessor, Gustavo Fruet (PDT); a única diferença foi a cor: a apresentação de Dallagnol para tentar incriminar o ex-presidente Lula era azul, enquanto a de Grega é laranja (Foto: Gisele Federicce)

Por Esmael Morais - O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), utilizou nesta segunda-feira (30) a tecnologia do PowerPoint do procurador Deltan Dallagnol, da Lava Jato, para denunciar suposto rombo de R$ 1,27 bilhão deixado pelo antecessor, Gustavo Fruet (PDT).

A diferença é que o PowerPoint usado por Dallagnol na tentativa de incriminar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em setembro do ano passado, era da cor “azul” e a apresentação contra Fruet tinha a cor “laranja”.

No entanto, o procurador da Lava Jato não apresentara provas contra o petista. Ficou apenas na “convicção”.

Greca aponta que o valor é três vezes maior do que o encontrado no início da gestão anterior, em 2013: cerca de R$ 400 milhões. Na época, Fruet sucedeu ao então prefeito Luciano Ducci (PSB).

“A dívida de Fruet demonstra um desequilíbrio total de gestão. Fruet se fechou em uma redoma invisível e tinha certeza que seria reeleito. Deixou de acompanhar os problemas da cidade, em especial os problemas financeiros gerados pela crise do modelo petista, que ele implantou em Curitiba”, disse o prefeito Rafael Greca. “Não deu certo.”

Os pecados de Fruet, segundo Greca:

– R$ 614 milhões não têm nenhum empenho. Tudo sem respaldo legal.
– R$ 358 milhões de restos a pagar de 2016, sem previsão legal, o que contraria a Lei de Responsabilidade Fiscal.
– IPMC tem rombo milionário.
– Investimentos despencaram 67% entre 2012 e 2016.
– Despesa bruta com servidores cresceu 70%.
– Cohab está à beira da insolvência.
– Lei Federal é clara sobre “crime de responsabilidade”.

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247