Judiciário manda Renault readmitir 747 empregados da montadora

Judiciário determinou que à Renaut que readmita 747 trabalhadores, segundo a juíza Sandra de Oliveira Dias, foram dispensados sem um processo prévio de negociação coletiva junto ao sindicato da categoria

Fábrica da Renaut em São José dos Pinhais (PR)
Fábrica da Renaut em São José dos Pinhais (PR) (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Justiça do Trabalho determinou nesta quarta-feira (5) que a Renault readmita os 747 funcionários dispensados no final do mês passado da fábrica em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (PR). A pena é de multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento. 

A Renault atribuiu as demissões à pandemia do coronavírus. As vendas da montadora caíram 47% no primeiro semestre de 2020. Mas, de acordo com a juíza Sandra de Oliveira Dias, da 3ª Vara do Trabalho de São José dos Pinhais, não houve um processo prévio de negociação coletiva junto ao sindicato da categoria.

"[...] Compromisso este que foi incontroversamente descumprido, haja vista que a ré [Renault], na primeira tentativa frustrada de estabelecer programa de demissão voluntária, via negociação coletiva, optou por romper com as tratativas coletivas e dispensar de forma ilícita mais de 700 trabalhadores", escreveu a magistrada. O relato foi publicado no jornal Folha de S.Paulo.

Em nota, a empresa informou que tenta negociar com os empregados desde abril, mas que as propostas foram rejeitadas. Segundo a empresa, os demitidos mantiveram seus benefícios por alguns meses.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247