Justiça condena Miguel Reale Jr. a indenizar desembargador que concedeu habeas corpus a Lula

O motivo da decisão foi um comentário feito pelo jurista sobre um habeas corpus concedido pelo desembargador Rogério Fraveto ao ex-presidente Lula

www.brasil247.com - Miguel Reale Júnior e Rogério Fraveto
Miguel Reale Júnior e Rogério Fraveto (Foto: ABR | Rogério Favreto Sylvio Sirangelo/TRF4/Flickr)


247 - O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) condenou, na tarde desta terça-feira (17), o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior a pagar uma indenização de R$ 10 mil ao desembargador Rogério Fraveto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

O motivo da decisão foi um comentário feito pelo jurista sobre um habeas corpus concedido pelo desembargador ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante o plantão judicial. Na ocasião, o Reale Júnior afirmou que o sobrenome do desembargador significava o diminutivo de favor em italiano, ou seja, "favorzinho".

Segundo a coluna de Mônica Bergamo, o julgamento em 2ª instância aconteceu após a defesa de Fraveto recorrer da decisão anterior do juiz Leandro Raul Klippel. O magistrado, da 12ª Vara Cível do Foro Central da Comarca de Porto Alegre, havia negado a indenização.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Reale Jr. foi um dos autores do processo que levou ao golpe contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email