Sul

Laudo da PF: Marice foi presa por engano

Grupo de perícias em equipamentos audiovisuais da PF em Curitiba conclui que não é a cunhada de João Vaccari Neto, Marice, quem aparece em vídeos fazendo depósitos à mulher do ex-tesoureiro do PT, mas, sim, a própria Giselda; as imagens foram usadas pelo juiz Sérgio Moro para prorrogar a prisão preventiva de Marice; ele escreveu que não havia "margem para dúvidas" sobre sua atuação no esquema e o MP a acusou de ter mentido em depoimento ao negar ter feito depósitos à irmã; Giselda admitiu ser ela mesma nas imagens do banco e Marice foi solta após sua defesa levantar dúvida sobre a versão da Procuradoria

Grupo de perícias em equipamentos audiovisuais da PF em Curitiba conclui que não é a cunhada de João Vaccari Neto, Marice, quem aparece em vídeos fazendo depósitos à mulher do ex-tesoureiro do PT, mas, sim, a própria Giselda; as imagens foram usadas pelo juiz Sérgio Moro para prorrogar a prisão preventiva de Marice; ele escreveu que não havia "margem para dúvidas" sobre sua atuação no esquema e o MP a acusou de ter mentido em depoimento ao negar ter feito depósitos à irmã; Giselda admitiu ser ela mesma nas imagens do banco e Marice foi solta após sua defesa levantar dúvida sobre a versão da Procuradoria (Foto: Roberta Namour)

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - Peritos da Polícia Federal confirmaram que não é a cunhada de João Vaccari Neto, Marice, quem aparece em vídeos fazendo depósitos à mulher do ex-tesoureiro do PT, mas, sim, a própria Giselda. 

Segundo a colunista Vera Magalhães, o laudo assinado pelo grupo de perícias em equipamentos audiovisuais da PF em Curitiba foi encaminhado à força-tarefa da Operação Lava Jato.

O juiz Sérgio Moro se baseou nas imagens para prorrogar a prisão preventiva da cunhada de Vaccari. Ele escreveu que não havia "margem para dúvidas" sobre a atuação de Marice. O Ministério Público a acusou de ter mentido em depoimento ao negar ter feito depósitos à irmã.

O dinheiro, que seria de propina da OAS, entrou na conta da mulher de Vaccari, Giselda Rosie de Lima, no mesmo horário que mostrava a mulher fazendo depósito no vídeo. Marice negou ter feito os depósitos e Giselda admitiu ser ela mesma nas imagens do banco.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Marice foi solta após sua defesa levantar dúvida sobre a versão da Procuradoria.

Abaixo, o vídeo que mostra as imagens de uma agência do Itaú e que confundiu os investigadores da Lava Jato, divulgado pelo portal da revista Exame: 

 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO