Massacre dos profesores pela PM de Richa completa um ano sem punição

Ação violenta da Policia Militar do Paraná que deixou mais de 200 manifestantes feridos no Centro Cívico de Curitiba, completou um ano sem que ninguém fosse punido; após o episódio, o secretário de Segurança Pública pediu demissão; Fernando Francischini (SD-PR) reassumiu o mandato de deputado federal e, neste mês, voltou a favor do impeachment de Dilma Rousseff; o MP investiga o tucano Beto Richa por possível omissão ao não conter a ação policial, considerada excessiva pelo uso de bombas de gás e balas de borracha

Ação violenta da Policia Militar do Paraná que deixou mais de 200 manifestantes feridos no Centro Cívico de Curitiba, completou um ano sem que ninguém fosse punido; após o episódio, o secretário de Segurança Pública pediu demissão; Fernando Francischini (SD-PR) reassumiu o mandato de deputado federal e, neste mês, voltou a favor do impeachment de Dilma Rousseff; o MP investiga o tucano Beto Richa por possível omissão ao não conter a ação policial, considerada excessiva pelo uso de bombas de gás e balas de borracha
Ação violenta da Policia Militar do Paraná que deixou mais de 200 manifestantes feridos no Centro Cívico de Curitiba, completou um ano sem que ninguém fosse punido; após o episódio, o secretário de Segurança Pública pediu demissão; Fernando Francischini (SD-PR) reassumiu o mandato de deputado federal e, neste mês, voltou a favor do impeachment de Dilma Rousseff; o MP investiga o tucano Beto Richa por possível omissão ao não conter a ação policial, considerada excessiva pelo uso de bombas de gás e balas de borracha (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A ação violenta da Policia Militar do Paraná que deixou mais de 200 manifestantes feridos no Centro Cívico de Curitiba, completou um ano sem que ninguém fosse punido.

Após o episódio, o secretário de Segurança Pública pediu demissão. Fernando Francischini (SD-PR) reassumiu o mandato de deputado federal e, neste mês, voltou a favor do impeachment de Dilma Rousseff.

O MP investiga o governador tucano Beto Richa e oficiais da PM por possível omissão ao não conter a ação policial, considerada excessiva pelo uso de bombas de gás e bala. Eles também são alvos de ação de improbidade administrativa, ainda sem julgamento.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247