Mello diz que Moro não é o único juiz honesto do País

Em entrevista nesta manhã à Rádio Estadão, o ministro do STF Marco Aurélio Mello afirma ser equivocada a impressão de que a corte suprema seria "benévola" com o ex-presidente Lula, que passa a ter foro privilegiado se aceitar comandar um ministério no governo Dilma; "Não se tem apenas a observância da lei lá no juízo do Paraná. Ao contrário, o Supremo é o guarda maior da Constituição", afirmou, em referência ao juiz federal Sérgio Moro, que decide os processos da Lava Jato em primeira instância; ele também rejeitou a tese, defendida pela oposição, de que a nomeação de Lula seria "obstrução à Justiça"

www.brasil247.com - Em entrevista nesta manhã à Rádio Estadão, o ministro do STF Marco Aurélio Mello afirma ser equivocada a impressão de que a corte suprema seria "benévola" com o ex-presidente Lula, que passa a ter foro privilegiado se aceitar comandar um ministério no governo Dilma; "Não se tem apenas a observância da lei lá no juízo do Paraná. Ao contrário, o Supremo é o guarda maior da Constituição", afirmou, em referência ao juiz federal Sérgio Moro, que decide os processos da Lava Jato em primeira instância; ele também rejeitou a tese, defendida pela oposição, de que a nomeação de Lula seria "obstrução à Justiça"
Em entrevista nesta manhã à Rádio Estadão, o ministro do STF Marco Aurélio Mello afirma ser equivocada a impressão de que a corte suprema seria "benévola" com o ex-presidente Lula, que passa a ter foro privilegiado se aceitar comandar um ministério no governo Dilma; "Não se tem apenas a observância da lei lá no juízo do Paraná. Ao contrário, o Supremo é o guarda maior da Constituição", afirmou, em referência ao juiz federal Sérgio Moro, que decide os processos da Lava Jato em primeira instância; ele também rejeitou a tese, defendida pela oposição, de que a nomeação de Lula seria "obstrução à Justiça" (Foto: Gisele Federicce)


247 – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello afirmou na manhã desta terça-feira 15 que o juiz federal Sérgio Moro, que decide os processos da Operação Lava Jato em primeira instância, não é o único juiz honesto do País.

A declaração, feita em entrevista à Rádio Estadão, era um comentário sobre a possibilidade de o ex-presidente Lula ser julgado pelo Supremo, caso aceite um ministério no governo da presidente Dilma Rousseff, o que lhe configuraria direito a foro privilegiado.

De acordo com o ministro, é equivocada a impressão de que a corte suprema seria "benévola" com Lula, caso passe a julgar o líder petista. "Não se tem apenas a observância da lei lá no juízo do Paraná. Ao contrário, o Supremo é o guarda maior da Constituição", afirmou, em referência a Moro.

Mello também rejeitou a tese, defendida pela oposição, de que a nomeação de Lula seria "obstrução à Justiça". O DEM já anunciou que entrará com uma ação contra a nomeação de Lula caso ele aceite comandar um ministério, indicando que a movimentação seria para "blindá-lo".

"Não podemos presumir que a tentativa (da ida de Lula para um ministério) seja de acobertamento, se é que o ex-presidente Lula - não podemos concluir a priori - praticou algum ato que pode ser alcançado pelo direito penal", opinou Marco Aurélio Mello.

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email