Moro determina devolução de carros de luxo, lancha e relógios a delator

Juiz federal Sérgio Moro autorizou a devolução definitiva de bens de propriedade do delator da Zwi Skornicki, apontado como operador de propinas na Petrobras, no âmbito da Operação Lava Jato. Com a decisão de Moro, Skornicki irá recuperar 5 carros de luxo (três BMW, uma Mercedes e um Mini Cooper), uma lancha, dois botes salva-vidas, além de relógios; decisão veio após Skornicki repatriar cerca de US$ 5,6 milhões depositados em contas dos Estados Unidos

Juiz federal Sérgio Moro autorizou a devolução definitiva de bens de propriedade do delator da Zwi Skornicki, apontado como operador de propinas na Petrobras, no âmbito da Operação Lava Jato. Com a decisão de Moro, Skornicki irá recuperar 5 carros de luxo (três BMW, uma Mercedes e um Mini Cooper), uma lancha, dois botes salva-vidas, além de relógios; decisão veio após Skornicki repatriar cerca de US$ 5,6 milhões depositados em contas dos Estados Unidos
Juiz federal Sérgio Moro autorizou a devolução definitiva de bens de propriedade do delator da Zwi Skornicki, apontado como operador de propinas na Petrobras, no âmbito da Operação Lava Jato. Com a decisão de Moro, Skornicki irá recuperar 5 carros de luxo (três BMW, uma Mercedes e um Mini Cooper), uma lancha, dois botes salva-vidas, além de relógios; decisão veio após Skornicki repatriar cerca de US$ 5,6 milhões depositados em contas dos Estados Unidos (Foto: Paulo Emílio)

Paraná 247 - O juiz federal Sérgio Moro autorizou a devolução definitiva de bens de propriedade do delator da Zwi Skornicki, apontado como operador de propinas na Petrobras, no âmbito da Operação Lava Jato. Com a decisão de Moro, Skornicki irá recuperar 5 carros de luxo (três BMW, uma Mercedes e um Mini Cooper), uma lancha, dois botes salva-vidas, além de relógios.

Em fevereiro, Moro já havia liberado os bens de forma provisória, sob a forma de depósito. Na época, o delator havia se comprometido a repatriar cerca de US$ 5,6 milhões que estavam depositados em contas dos Estados Unidos. Os valores mantidos na Suíça, porém, deverão ser repatriados pelo Ministério Público Federal (MPF).

"Tendo em vista que o colaborador cumpriu com a sua parcela de obrigação referente à internalização dos valores mantidos nos Estados Unidos da América, determinei a restituição de valores excedentes que remanesciam indisponíveis a Zwi Skornicki. O mesmo aplica-se aqui, para a devolução dos demais bens", destacou Moro em sua decisão.

 

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247