Moro diz que irá se pronunciar nos autos sobre pedido de suspeição

A assessoria de Comunicação Social da Justiça Federal do Paraná emitiu nota na noite desta terça (5) para informar que o juiz Sérgio Moro só irá se pronunciar sobre a petição do ex-presidente Lula para que o magistrado se declare suspeito para julgá-lo, nos autos; no pedido, os advogados do ex-presidente apontam "arbitrariedades" como a condução coercitiva de Lula e o vazamento de conversas que deveriam ser protegidas por sigilo

A assessoria de Comunicação Social da Justiça Federal do Paraná emitiu nota na noite desta terça (5) para informar que o juiz Sérgio Moro só irá se pronunciar sobre a petição do ex-presidente Lula para que o magistrado se declare suspeito para julgá-lo, nos autos; no pedido, os advogados do ex-presidente apontam "arbitrariedades" como a condução coercitiva de Lula e o vazamento de conversas que deveriam ser protegidas por sigilo
A assessoria de Comunicação Social da Justiça Federal do Paraná emitiu nota na noite desta terça (5) para informar que o juiz Sérgio Moro só irá se pronunciar sobre a petição do ex-presidente Lula para que o magistrado se declare suspeito para julgá-lo, nos autos; no pedido, os advogados do ex-presidente apontam "arbitrariedades" como a condução coercitiva de Lula e o vazamento de conversas que deveriam ser protegidas por sigilo (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A assessoria de Comunicação Social da Justiça Federal do Paraná emitiu nota na noite desta terça-feira (5) para informar que o juiz Sérgio Moro só irá se pronunciar sobre a petição da defesa do ex-presidente Lula para que o magistrado se declare suspeito para julgá-lo, nos autos.

"Em relação às petições de Exceção de Suspeição Criminal e Exceção de Incompetência Criminal ajuizadas pelos advogados do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva em processos relacionados a ele a Assessoria de Comunicação Social da Justiça Federal do Paraná informa que o juiz federal Sergio Fernando Moro, titular da 13a Vara Federal de Curitiba, irá se manifestar nos autos", diz a nota.

Entre os motivos para o pedido, os advogados do ex-presidente apontam "arbitrariedades" como a condução coercitiva de Lula e o vazamento de conversas que deveriam ser protegidas por sigilo.

"A 'exceção de suspeição' também se baseia no fato de Moro, em documento encaminhado ao Supremo Tribunal Federal, ter acusado doze vezes o ex-Presidente de atuar com 'o propósito de influenciar, intimidar ou obstruir a justiça'", diz a nota (leia aqui).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247