Moro marcou reunião com PF e MPF para decidir próximas fases da Lava Jato

Segundo diálogo da Vaza Jato divulgado nesta segunda-feira 15 por Reinaldo Azevedo revela que Sergio Moro, quando juiz, marcou reunião com a Polícia Federal e com o Ministério Público Federal - parte investigatória e acusatória dos processos da Lava Jato - para combinar as novas fases da operação, datas, esquema operacional e financiamento das etapas

247 - O segundo diálogo da Vaza Jato divulgado por Reinaldo Azevedo na noite desta segunda-feira 15 revela que o ex-juiz Sergio Moro, que deveria, de forma imparcial, julgar os processos da Lava Jato, sem combinações e acordos com nenhuma das partes, marcou reunião com integrantes da Polícia Federal e do Ministério Público Federal - ou seja, da parte investigatória e acusatória - para combinar novas fases da Operação.

Em 3 de setembro de 2015, o chefe da força-tarefa da Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol, enviou a Moro a seguinte mensagem de texto no aplicativo Telegram: "caro, quando seria um bom dia e hora para a reunião com a PF? Sobre aquela questão das prioridades. Sua presença daria uma força moral na questão da prioridade e evitaria dizer que o MPF queira impor agenda".

Moro respondeu, sem mencionar que uma reunião do tipo iria contra a isenção de seu trabalho: "Sem tempo para reuniões nessa e na próxima semana".

Em 16 de setembro Deltan insiste: "caro juiz, seria possível reunião no final de segunda para tratarmos de novas fases, inclusive capacidade operacional e data, considerando recesso? Incluiria a PF também."

Moro: "Penso que seria oportuno. Mas segunda seria um dia difícil. Terça seria ideal. A não ser que fosse segunda pela manhã".

Deltan então confirma: "terça 9 am, pode ser? Ou 10am".

Moro: "10:30 am".

Conheça a TV 247

Mais de Sul

Ao vivo na TV 247 Youtube 247