Moro solta 11 e amplia prisão de Duque e outros 5

O juiz federal Sergio Moro decretou na noite desta terça-feira, 18, a prisão preventiva do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque; do presidente da UTC, Ricardo Ribeiro Pessoa; do presidente da OAS, José Aldemário Pinheiro Filho; do presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa, João Ricardo Auler; do presidente da Camargo Corrêa e do funcionário da OAS, em São Paulo, Mateus Coutinho de Sá Oliveira; entre as pessoas libertadas estão executivos das empresas Iesa, Queiroz Galvão, OAS, UTC e Engevix; no total, desde sexta, 24 pessoas foram presas

O juiz federal Sergio Moro decretou na noite desta terça-feira, 18, a prisão preventiva do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque; do presidente da UTC, Ricardo Ribeiro Pessoa; do presidente da OAS, José Aldemário Pinheiro Filho; do presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa, João Ricardo Auler; do presidente da Camargo Corrêa e do funcionário da OAS, em São Paulo, Mateus Coutinho de Sá Oliveira; entre as pessoas libertadas estão executivos das empresas Iesa, Queiroz Galvão, OAS, UTC e Engevix; no total, desde sexta, 24 pessoas foram presas
O juiz federal Sergio Moro decretou na noite desta terça-feira, 18, a prisão preventiva do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque; do presidente da UTC, Ricardo Ribeiro Pessoa; do presidente da OAS, José Aldemário Pinheiro Filho; do presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa, João Ricardo Auler; do presidente da Camargo Corrêa e do funcionário da OAS, em São Paulo, Mateus Coutinho de Sá Oliveira; entre as pessoas libertadas estão executivos das empresas Iesa, Queiroz Galvão, OAS, UTC e Engevix; no total, desde sexta, 24 pessoas foram presas (Foto: Aquiles Lins)

247 - O juiz federal Sergio Moro decidiu na noite desta terça-feira, 18, que a prisão temporária do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque e de mais cinco suspeitos seja convertida para prisão preventiva. O magistrado também determinou que 11 pessoas sejam colocadas em liberdade imediatamente.

Sérgio Moro decretou a prisão preventiva de Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras; Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da UTC; José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS; Mateus Coutinho de Sá Oliveira, funcionário da OAS, em São Paulo; João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração da Camargo Côrrea e Dalton Santos Avancini, presidente da Camargo Côrrea.

Já as 11 pessoas que devem ser colocadas em liberdade são Valdir Carreiro, diretor-presidente da IESA; Othon Zanoide, diretor da Queiroz Galvão; Jayme de Oliveira Filho, ligado ao doleiro Alberto Youssef; Alexandre Barbosa, da OAS; Walmir Santana, da UTC; Ildefonso Colares, ex-diretor-presidente da Queiroz Galvão; Carlos Alberto da Costa e Silva, da UTC; Otto Sparenberg, diretora da IESA; Newton Prado Junior, diretor da Engevix; Carlos Eduardo Strauch, diretor da Engevix e Ednaldo Alves da Silva da UTC.

Estas 11 pessoas estão proibidos de mudança de endereço sem prévia autorização judicial e de deixar o país. Eles devem entregar os passaportes brasileiros e eventualmente de passaportes estrangeiros à Justiça no prazo de cinco dias, além de comparecer "a todos os atos processuais e ainda, perante a autoridade policial, Ministério Público Federal (MPF) e mesmo perante este Juízo mediante intimação por qualquer meio, inclusive telefone", como diz um trecho da decisão. 

No total, desde sexta, 24 pessoas foram presas.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247