MPF pede pena mais alta para Lula por sítio de Atibaia

Parecer foi enviado pelo Ministério Público Federal ao TRF-4, que julgará o ex-presidente em segunda instância no processo; na primeira instância, a juíza Gabriela Hardt condenou Lula a 12 anos e 11 meses de prisão; desembargador Leandro Paulsen diz que processos da Lava Jato estão em dia no TRF-4 e que caso do sítio deve ser julgado no segundo semestre

(Foto: Lula sítio Atibaia)

247 - O Ministério Público Federal pediu ao Tribunal Regional Federal da 4a Região (TRF-4) que aumente a pena do ex-presidente Lula no caso do sítio de Atibaia. O órgão no Estado enviou um parecer ao tribunal, que julgará o ex-presidente em segunda instância neste caso. 

Na primeira instância, a juíza Gabriela Hardt, que substituiu temporariamente Sergio Moro na 13a Vara da Justiça Federal de Curitiba quando o ex-juiz aceitou o cargo de ministro do governo Bolsonaro, condenou Lula a 12 anos e 11 meses de prisão, admitindo ter copiado a sentença de Moro no caso do triplex, pelo qual Lula havia sido condenado antes.

"Em relação à dosimetria, incrementar o aumento da pena a título de culpabilidade em relação ao réu Luiz Inácio", diz trecho do parecer, que pode ser conferido abaixo pelo tuíte do repórter Eduardo Matos. Lula já foi condenado em primeira instância pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no processo.

A 8ª Turma da Corte pode julgar o processo até o fim do ano, segundo previsão dada pelo presidente do colegiado, desembargador Leandro Paulsen. Segundo reportagem do Estado de S.Paulo, o magistrado quebrou silêncio com a imprensa e afirmou que os processos da Lava Jato estão praticamente em dia no TRF-4.

“Não temos razão nenhuma para atropelar ou pra retardar. Será no tempo adequado, assim que nós nos sentirmos seguros, após a análise do processo como um todo, nós levaremos a julgamento. É possível que ocorra no segundo semestre deste ano, dependendo de o processo estar pronto para ser julgado”, declarou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247