Oposição entra com ação contra Dilma na PGR

Líderes de partidos de oposição na Câmara protocolaram na Procuradoria Geral da República uma representação em que pedem a abertura de inquérito contra a presidente Dilma Rousseff para investigar a prática de crimes de prevaricação, fraude processual e favorecimento pessoal na nomeação de Lula para a Casa Civil; "O ato de nomeação de Lula, por si só, já caracteriza clara obstrução da Justiça. E isso ficou ainda mais claro nas gravações", disse em nota o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR)

Líderes de partidos de oposição na Câmara protocolaram na Procuradoria Geral da República uma representação em que pedem a abertura de inquérito contra a presidente Dilma Rousseff para investigar a prática de crimes de prevaricação, fraude processual e favorecimento pessoal na nomeação de Lula para a Casa Civil; "O ato de nomeação de Lula, por si só, já caracteriza clara obstrução da Justiça. E isso ficou ainda mais claro nas gravações", disse em nota o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR)
Líderes de partidos de oposição na Câmara protocolaram na Procuradoria Geral da República uma representação em que pedem a abertura de inquérito contra a presidente Dilma Rousseff para investigar a prática de crimes de prevaricação, fraude processual e favorecimento pessoal na nomeação de Lula para a Casa Civil; "O ato de nomeação de Lula, por si só, já caracteriza clara obstrução da Justiça. E isso ficou ainda mais claro nas gravações", disse em nota o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR) (Foto: Gisele Federicce)

247 – Os líderes de partidos de oposição protocolaram nesta quinta-feira 17 na Procuradoria Geral da República uma representação em que pedem a abertura de inquérito contra Dilma Rousseff para investigar a prática de crimes de prevaricação, fraude processual e favorecimento pessoal na nomeação de Lula para a Casa Civil.

O texto é assinado pelos líderes do PPS, Rubens Bueno (PR), do DEM, Pauderney Avelino (AM), do PSDB, Antonio Imabasshy (BA), do Solidariedade, Genecias Noronha (CE), e da minoria, Miguel Hadadd (PSDB-SP).

O pedido precisa agora ser aceito pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e depois autorizado pela Câmara dos Deputados. Os deputados acreditam que a presidente pode ser afastada em 180 dias se o STF aceitar o pedido.

"O ato de nomeação de Lula, por si só, já caracteriza clara obstrução da Justiça. E isso ficou ainda mais claro nas gravações divulgadas na quarta-feira (16), que mostram Dilma combinando com Lula o desfecho de um crime contra a Justiça e contra o povo brasileiro. Tenho certeza que o Ministério Público Federal cumprirá sua missão", disse em nota o líder do PPS, Rubens Bueno (PR).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247