Pamela, esposa de Marcelo Arruda, publica carta após assassinato do marido: "não sei viver sem você"

Arruda foi morto por um bolsonarista enquanto comemorava seu aniversário de 50 anos em uma festa com temática do PT

www.brasil247.com - Marcelo Arruda e Pamela Silva
Marcelo Arruda e Pamela Silva (Foto: Reprodução/Facebook)


247 - Esposa do guarda municipal de Foz do Iguaçu (PR) Marcelo Arruda, Pamela Silva publicou no Facebook na manhã desta terça-feira (12) uma carta emociana em homenagem ao marida, morto pelo terrorista bolsonarista Jorge José Guaranho enquanto comemorava seu aniversário de 50 anos em uma festa com temática do PT.

Arruda deixou doius filhos, Helena e Pedro, este com apenas 40 dias de vida.

>>> Assassinato de petista por bolsonarista reforça imagem agressiva de Bolsonaro, avalia campanha

Leia a carta: 

"Antes mesmo de começar a escrever minhas palavras se transformam em lágrimas.

'Ah' como havíamos planejado esse dia, há dias! Assim como todo o momento que nos reunimos com amigos queríamos ser felizes e fomos, porque ao seu lado não poderia ser diferente, sempre havia uma piada, uma sacanagem.

Há mais de 10 anos nos permitimos nos conhecer e devagarinho o amor foi entrando em nossos corações.

Você me deu razão para viver… Primeiro nossa filha linda e inteligente a Helena, e agora nosso bebê Pedro (oh nego).

Eu sinto tanto… Você tinha tantos planos, tantos projetos… Nós tínhamos tantos planos juntos.

Em tão pouco tempo que moramos juntos foram tão intensos, a casa tem em cada pedacinho um jeito seu… 'Tá' difícil ficar aqui sem você!

Muito!

Quem irá me beijar, quem irá me abraçar e aquele boa noite recheado de beijos…

Você não poderia ter ido meu mastercheff favorito! Esses não podem ser o plano divino… Meu Deus quanta dor….Quero sentir seu cheiro ainda, quero seus abraços, quero sentir o calor da sua pele.

Eu ainda não sei viver sem você.

Como me dizia que eu era uma mulher forte e inteligente vou tentar encontrar uma maneira de amenizar minha dor e dos pequenos mas não agora, não consigo.

Queria tanto que tempo voltasse pra mudar o resultado dessa dor… Teríamos permanecidos em casa bem quietinhos para que nada pudesse acontecer. Que essa energia do ódio não tivesse nos atingidos .

Te amo, te amo e te amarei para sempre!".

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email