Paulo Roberto deverá ter proteção policial em casa

Após acordo de delação premiada, em que listou políticos como supostos beneficiários de esquema de propina, Ministério Público Federal quer transferir o Paulo Roberto Costa para o presídio federal de Catanduvas (PR) temendo represálias; se for libertado ao fim dos depoimentos, deverá contar com proteção policial em casa

PR - LAVA JATO/STF/SOLTURA - POLÕTICA - O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que estava preso na SuperintendÍncia da PolÌcia Federal   (PF) em Curitiba, È solto na tarde desta segunda-feira (19). O alvar· de soltura foi expedido pelo   juiz SÈrg
PR - LAVA JATO/STF/SOLTURA - POLÕTICA - O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que estava preso na SuperintendÍncia da PolÌcia Federal (PF) em Curitiba, È solto na tarde desta segunda-feira (19). O alvar· de soltura foi expedido pelo juiz SÈrg (Foto: Roberta Namour)

247 – Após acordo de delação premiada, Paulo Roberto Costa pode contar com escolta policial. Em depoimentos ao Ministério Público Federal, o ex-diretor da Petrobras, preso na operação Lava Jato, indicou o nome de senadores, deputados federais e até o de um ministro que teriam sido beneficiados pelo esquema de propina e lavagem de dinheiro comandado pelo doleiro Alberto Youssef.

Segundo o colunista Bernardo Mello Franco, temendo represálias, o MP quer transferir Costa para o presídio federal de Catanduvas (PR). Se for libertado ao fim dos depoimentos, deverá contar com proteção policial em casa.

A CPI da Petrobras identificou movimentações de até R$ 36,92 milhões em sete contas bancárias em nome do ex-diretor, entre janeiro de 2005 e maio de 2014. Os integrantes da comissão vão analisar se o montante é compatível com sua renda.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247