PR: 17 PMs são presos após se recusarem a participar de cerco

Cerco para impedir que servidores acompanhassem na Assembleia Legislativa o debate da proposta de Beto Richa, que prevê o confisco da previdência do funcionalismo a fim de regularizar as contas do governo, deixou mais de 200 feridos; o chefe da PM, coronel Chehade Elias Geha, caiu após o polêmico episódio

www.brasil247.com - Cerco para impedir que servidores acompanhassem na Assembleia Legislativa o debate da proposta de Beto Richa, que prevê o confisco da previdência do funcionalismo a fim de regularizar as contas do governo, deixou mais de 200 feridos; o chefe da PM, coronel Chehade Elias Geha, caiu após o polêmico episódio
Cerco para impedir que servidores acompanhassem na Assembleia Legislativa o debate da proposta de Beto Richa, que prevê o confisco da previdência do funcionalismo a fim de regularizar as contas do governo, deixou mais de 200 feridos; o chefe da PM, coronel Chehade Elias Geha, caiu após o polêmico episódio (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News

Paraná 247 - A Polícia Militar confirmou que 17 policiais foram presos nesta quarta-feira após se recusarem a participar do cerco para impedir que servidores acompanhassem na Assembleia Legislativa o debate da proposta de Beto Richa que prevê o confisco da previdência do funcionalismo a fim de regularizar as contas do governo.

O ataque aos manifestantes, com bombas de gás lacrimogêneo, balas de borracha e jatos de água dos policiais, deixou mais de 200 feridos. O chefe da PM, coronel Chehade Elias Geha, caiu após o polêmico episódio.

A guerra em Curitiba ganhou repercussão nacional. O ex-presidente Lula classificou a violência da PM do Paraná contra professores como "inadmissível". "Solidarizo-me com os professores do Paraná, que foram agredidos de forma violenta pela Polícia Militar do estado", disse. O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS), viaja até Curitiba e para pedir ao governador o "fim do massacre contra professores".

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email