Presos da Lava Jato começam a deixar carceragem da PF

Pelo menos seis  presos na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, deixaram a carceragem da Superintendência da Policia Federal, em Curitiba, no fim da noite, após decisão da Justiça Federal que concedeu liberdade a 11 dos investigados na sétima fase da Operação Lava Jato; eles deixaram o local os rostos cobertos e seguiram nos carros de seus advogados

www.brasil247.com - Pelo menos seis  presos na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, deixaram a carceragem da Superintendência da Policia Federal, em Curitiba, no fim da noite, após decisão da Justiça Federal que concedeu liberdade a 11 dos investigados na sétima fase da Operação Lava Jato; eles deixaram o local os rostos cobertos e seguiram nos carros de seus advogados
Pelo menos seis  presos na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, deixaram a carceragem da Superintendência da Policia Federal, em Curitiba, no fim da noite, após decisão da Justiça Federal que concedeu liberdade a 11 dos investigados na sétima fase da Operação Lava Jato; eles deixaram o local os rostos cobertos e seguiram nos carros de seus advogados (Foto: Leonardo Attuch)


André Richter – Enviado Especial da Agência Brasil
 
Pelo menos seis  presos na Operação Lava Jato, da Polícia Federal, deixaram a carceragem da Superintendência da Policia Federal, em Curitiba, no fim da noite, após decisão da Justiça Federal que concedeu liberdade a 11 dos investigados na sétima fase da Operação Lava Jato. Eles deixaram o local os rostos cobertos e seguiram nos carros de seus advogados. 

Na decisão proferida hoje, o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelas investigações entendeu que, por terem papéis subalternos, 11 dos 24 presos podem responder as acusações em liberdade enquanto as apurações são aprofundadas. 

Conforme a decisão foram soltos os executivos Ildefonso Colares Filho, Othon Zanóide de Moraes Filho e Valdir Lima Carreiro (ligados à Queiroz Galvão e UTC); Alexandre Portela Barbosa (OAS); Valdir Lima Carrero, (IESA Óleo e Gás); Carlos Eduardo Strauch Albero, diretor da Engevix; Newton Prado Junior, diretor da Engevix; Ednaldo Alves da Silva ( UTC); Otto Garrido Sparenberg (IESA Óleo e Gás); Walmir Pinheiro Santana (UTC Participações); e Carlos Alberto da Costa Silva (OAS). Também será libertado o agente policial Jayme Alves de Oliveira Filho, que prestava serviços ao doleiro Alberto Youssef. Eles, no entanto, estão proibidos de deixar o país e deverão entregar seus passaportes. Segundo o juiz, a atuação dos investigados precisa ser aprofundada, mas a prisão cautelar não se justifica.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email