Primo de Richa recebeu da Alep por seis anos

Uma ação na Justiça discute a nomeação de Luiz Abi Antoun para um cargo em comissão na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) em 2001; durante seis anos, Abi recebeu como comissionado no Legislativo depois de uma nomeação polêmica para um gabinete que na época não existia mais; Diário Oficial da época apontou que Abi foi nomeado "para o gabinete do deputado estadual Beto Richa"; Abi é investigado pelo Ministério Público (MP-PR) por suposta fraude em licitação no governo estadual

Uma ação na Justiça discute a nomeação de Luiz Abi Antoun para um cargo em comissão na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) em 2001; durante seis anos, Abi recebeu como comissionado no Legislativo depois de uma nomeação polêmica para um gabinete que na época não existia mais; Diário Oficial da época apontou que Abi foi nomeado "para o gabinete do deputado estadual Beto Richa"; Abi é investigado pelo Ministério Público (MP-PR) por suposta fraude em licitação no governo estadual
Uma ação na Justiça discute a nomeação de Luiz Abi Antoun para um cargo em comissão na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) em 2001; durante seis anos, Abi recebeu como comissionado no Legislativo depois de uma nomeação polêmica para um gabinete que na época não existia mais; Diário Oficial da época apontou que Abi foi nomeado "para o gabinete do deputado estadual Beto Richa"; Abi é investigado pelo Ministério Público (MP-PR) por suposta fraude em licitação no governo estadual (Foto: Leonardo Lucena)

Notícias Paraná - Uma ação na Justiça discute a nomeação de Luiz Abi Antoun para um cargo em comissão naAssembleia Legislativa do Paraná (Alep) em 2001. Durante seis anos, Abi recebeu como comissionado no Legislativo depois de uma nomeação polêmica para um gabinete que na época não existia mais. De acordo com o Diário Oficial da época, Abi foi nomeado "para o gabinete do deputado estadual Beto Richa". Naquele ano, porém, Richa já tinha renunciado ao mandato na Assembleia para assumir o posto de vice-prefeito de Curitiba na gestão de Cassio Taniguchi.

Luiz Abi Antoun, parente distante do governador Beto Richa (PSDB), apareceu no noticiário há duas semanas, quando foi preso na Operação Voldemort, do Gaeco, em Curitiba. Ele é acusado pelo Ministério Público de manipular a contratação de uma oficina mecânica para fazer consertos de veículos do governo do estado na região de Londrina.

A ação movida por Gisele Gemin Loeper e pelo advogado Antonio Carlos Ferreira questiona a nomeação de Abi e de mais dois comissionados para o gabinete inexistente de Richa. O juiz da ação determinou a exclusão de Richa como réu, afirmando que ele não poderia ter nomeado ninguém, uma vez que já não era deputado. Assim, os réus são os três deputados estaduais que ocupavam a Mesa Executiva à época: Hermas Brandão, Caíto Quintana e Augustinho Zucchi.

*Com Gazeta do Povo

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247